Mercado está tranquilo com a armação nas eleições do golpe

veja-bovespa-18

Na quarta-feira da última e mais tumultuada semana antes do primeiro turno das eleições, a Bolsa brasileira amanheceu subindo mais de 4%, no maior patamar desde maio. à tarde, o Ibovespa tinha alta de 2,48%. O dólar chegou a cair, mas se recuperou, fechando em R$ 3,90.

As empresas públicas, que estão na mira dos golpistas, subiram. As ações da Petrobrás voltaram a ter o maior valor de mercado na bolsa, as ações do Banco do Brasil avançaram 8% ao longo da semana e a Eletrorás subiu 6%.

A valorização do real e a alta na bolsa de valores indicam que o mercado está confiante na manipulação eleitoral. O imperialismo, através de matéria de capa da The Economist e outros veículos, deixou claro que é contra a candidatura de Jair Bolsonaro (PSL). A Folha de S. Paulo, porta-voz de um setor da burguesia paulista atrelada ao capital estrangeiro, vem insistindo na pretensão de transferir os votos do candidato do PSL, assim como os votos do PT, para o PSDB.

As pesquisas são parte da manipulação. Até então, Bolsonaro cresceu nas pesquisas mais recentes após uma estagnação e o inverso ocorreu com o candidato do PT, Fernando Haddad. A campanha em torno das pesquisas força os eleitores a abandonarem ambos os candidatos, que empatariam no segundo turno. Com essa manobra, pode-se eleger um candidato da direita mais comprometido com os interesses dos investidores estrangeiros.