Memorial da América Latina expõe a obra de Durval Pereira

durval5

Chegou ontem, no Memorial da América Latina, na capital de São Paulo, a mostra do pintor impressionista paulista Durval Pereira, proporcionando uma grande exposição retrospectiva de sua carreira, e após passar pelo Recife e Ouro Preto. Denominada, Durval Pereira – Impressões Brasileiras, será realizada no ano do centenário de nascimento do artista, uma ótima coincidências aos apreciadores.

Esse tipo de arte começou com um grupo de jovens pintores, futuramente conhecidos como os autores impressionistas,  que romperam com as regras da pintura vigentes até então, não mais se preocupando com os preceitos românticos ou da academia. A nova busca da inspiração, foi buscada nos elementos fundamentais de cada arte, levando os pintores impressionistas a pesquisar a produção pictórica não mais interessados em temáticas nobres ou no retrato fiel da realidade, mas em ver o quadro como obra em si mesma. Uma das transformações foi a principal delas para uma pintura, a luz, que para eles, o movimento utilizando nas pinceladas soltas tornariam-se o principal elemento, sendo que geralmente as telas eram pintadas ao ar livre para que o pintor pudesse capturar melhor as variações de cores da natureza.

Como a mudança foi extremamente brusca, não foi aceito de primeira na Europa do século XIX. Os estilos que até então vigoravam, eram completamente opostos e os vanguardistas quebraram com a linearidade: Neo-classicismo, Realismo e Romantismo. Especificamente, as mudanças eram: no caso do Neo-classicismo, os artistas se preocupavam com a perfeição, a ponto de corrigirem seus modelos para atingí-la; no Realismo, por outro lado, se preocupava em retratar a realidade exatamente como ela era.; e, finalmente, no trabalho romântico era extremamente subjetivista.

Já o impressionismo é uma arte visual, onde a representação do que se vê é o tema central das obras do movimento. As cenas pintadas são, em grande parte, apenas as que são observadas pelo próprio pintor. Neste sentido, o “ver” do impressionismo assume outro sentido: é o ver selecionado pelo mesmo, recortado, modelado de acordo com o objeto que se observa diretamente. Assim, os artistas do impressionismo selecionam a impressão como uma experiência importante a ser valorizada em suas obras de arte.

Sobre o impressionista brasileiro, sua obra é inspirada principalmente por suas viagens e por isso foram organizados três núcleos da exposição, para o público explorar bem essa questão. Fato importante sobre a mostra, é que para montar a exposição, o curador Lut Cerqueira, teve que desenvolver um trabalho também de historiador, pois o material informativo sobre o pintor é escasso. “Foi uma colcha de retalhos”, disse ele. Segundo ele, o interesse em reunir e apresentar tais obras de arte veio da impressionante arte do pinto, pois, como o mesmo não é divulgado, o projeto se materializou quando o curador foi divulgando e o interesse foi aumentando. “Ninguém sabia quem era Durval Pereira, mas, quando eu mostrava seus trabalhos, ficavam impressionados.” Só depois de quase um ano de projeto, e após chegar ao neto do autor, Carlos Eduardo, e que inicialmente achou fascinante a proposta de apresentar seu parente ao Brasil,  a exposição foi completamente revista para iniciarem os trabalhos.

Confira essa incrível mostra que surgiu de um grande esforço pela arte brasileira.

Programação:

Acompanhe pelo facebook do Memorial da América Latina:

https://www.facebook.com/memorialamericalatina/