Enfrentamento à pandemia
Mesmo com todo tipo de sabotagens, bloqueio econômico por parte do imperialismo, os resultados da ilha no combate ao novo coronavírus são espetaculares
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
WhatsApp Image 2020-12-20 at 17.47.21
Médicos Cubanos | Foto: Reprodução
WhatsApp Image 2020-12-20 at 17.47.21
Médicos Cubanos | Foto: Reprodução

Segundo o jornal Cubainformacion, Cuba enviou para o México, no último dia 18 de dezembro, 500 médicos. Conforme consta no sítio eletrônico, cuja fonte é o Ministério de Salud Pública (MINSAP) e o Ministério de Relaciones Exteriores de Cuba,  “partiu para o México o segundo grupo de colaboradores pertencentes a uma brigada do Contingente Internacional Especializado em Situações de Desastres e Graves Epidemias ‘Henry Reeve’”. Os profissionais de saúde deverão atuar no cuidado aos pacientes acometidos pelo novo coronavírus.

O ministro das relações exteriores de Cuba afirma que os integrantes dessa brigada são especializados em situações de desastres e graves epidemias e que partiram como resposta às solicitações vindas de Ciudad de México.

Nos meses anteriores já foram enviados mais de 800 colaboradores a diversas cidades do México. Além disso, até agora foram enviadas 54 brigadas, compostas por mais de 4 mil profissionais de saúde, que estão prestando serviço em 39 países.

São números, certamente, impressionantes, mas isso não é tudo. Mesmo com todo tipo de sabotagens, bloqueio econômico por parte do imperialismo, sobretudo o norte-americano, os resultados da ilha no combate ao novo coronavírus são espetaculares. O país, que é muito mais pobre que uma série de países, tem até agora menos de 150 mortes. Trata-se de um dos melhores (se não o melhor índice do mundo).

Diante de tais números, que indicam que, além de estar enfrentando a pandemia com resultados muito positivos, o país está ajudando outros países a enfrentá-la, é preciso perguntar: como um país, cercado de todos os lados pelo imperialismo, pode ter resultados tão bons no combate a uma pandemia que vem ceifando incontáveis vidas no mundo inteiro?

Cuba passou por uma revolução do proletariado, na qual o conjunto dos oprimidos e explorados da sociedade cubana expropriaram a burguesia, que explorava o povo em parceria com o imperialismo norte-americano. Portanto, mesmo sendo um País pobre, atrasado, Cuba conquistou uma série de avanços, que países ricos não possuem até hoje. Isso explica porque no Estado capitalista dos EUA, o mais rico do mundo, ocorreram mais de 300 mil mortes, enquanto que em Cuba, ocorreram apenas 150!

Não há segredo. Expulsos do país os exploradores do povo, inúmeros problemas sociais são resolvidos, inclusive a questão da precariedade do sistema de saúde pública. Assim, enquanto em outros países – como no Brasil, por exemplo – a pandemia atacou um sistema de saúde pública completamente precário ou até inexistente, em Cuba há um sistema de saúde que abrange toda a população e presta um serviço de qualidade. Mais do que isso: em Cuba há um governo que responde aos interesses do proletariado e que, portanto, diante da pandemia tomou uma série de medidas – não apenas o distanciamento social – para evitar a tragédia anunciada que veio a se concretizar no restante do mundo.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas