MEC: Militares golpistas colocam capachos bolsonaristas para atacar a educação

flavio

Da redação – O governo golpista divulgou que o segundo escalão do MEC (Secretaria Executiva e Secretarias) está para ser ocupado por mais um integrante militar. Isso significa a intervenção militar dentro da educação, o que demonstra o avanço do golpe de estado dentro das instituições civis, escancarando que os militares estão no controle do poder e pretendem, como na Ditadura Militar de 1964, censurar tudo que for possível.

As informações dão conta de que a secretaria executiva do MEC pode ir para Antonio Flavio Testa (UnB), que atuou no Senado e tem ligação com generais golpistas, o INEP pode ser ocupado por Marcus Vinicius Rodrigues – 20 anos nos Correios -, que é professor da FGV . E para a Secretaria de Educação Básica pode ser indicado Luiz Antonio Tozi, do ITA, atual vice-diretor do Centro Paula Souza.

O Antagonista, ligado ao O Globo, em 17/09 publicou matéria onde disse que dois cientistas políticos da UnB (Universidade de Brasília – Antônio Flávio Testa e Paulo Kramer – integravam um grupo criado pelos generais Augusto Heleno e Oswaldo ferreira -, ajudando a traçar estratégias para a chapa de Jair Bolsonaro e Hamilton Mourão. Reuniam-se periodicamente para discutir desde questões territoriais e indígenas à modulação do discurso sobre o golpe militar – segundo eles, um “contragolpe” à ofensiva comunista em 1964.

Outro fato que é importante ressaltar, gira em torno da questão do Projeto “Escola com Fascismo”, que a extrema-direita está tentando implementar em forma de perseguição à esquerda dentro das escolas. Essa entrada dos militares no Ministério da Educação revela que de fato não é preciso de lei alguma para os militares golpistas caçarem os trabalhadores, e mais, que a derrota institucional da lei não irá impedir os ataques da direita. 

Por isso é necessário a organização da autodefesa dos trabalhadores, nas bases sindicais, nas escolas, nas fábricas, bairros periféricos, operários e do campo, organizar os comitês de luta contra o golpe.