Siga o DCO nas redes sociais

Massacre nos presídios: genocídio de negros
Capturar3-1483817850
Capturar3-1483817850

Devido à política de exploração da burguesia, que se agrava durante as crises do capitalismo, é necessário usar de grande violência estatal para reprimir principalmente as camadas mais vulneráveis da população, composta em sua maioria por trabalhadores negros.

Levados a situações limite pela burguesia, que mantém a situação de exploração maior ainda para população negra, o encarceramento em massa é usado para lidar com essa parcela, que deixada sem opções, passando por necessidades e com nenhuma perspectiva de melhora em sua situação e de sua família é empurrada para as prisões . Dados do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) mostram que 80% da população carcerária tem sequer um documento de identidade, prova cabal de que as prisões são feitas para enclausurar os pobres.

O grande número de encarcerados é resultado da miséria do país, boa parte por crimes que sequer deveriam existir como o de tráfico de drogas, crime moral usado como justificativa para reprimir violentamente quem vive nas periferias.

A vida dos encarcerados vale menos ainda do que a dos pobres negros que estão nas periferias. Os presos perdem seus direitos completamente, sofrendo todo tipo de tortura e humilhação. Dezenas dos encarcerados sob os cuidados do estado são mortos a cada nova tragédia anunciada, e são tratados como simples rotina, respondidos com mais violência com uso do exército nos presídios.

Uma vez dentro dos presídios, os encarcerados são esquecidos nas celas superlotadas, que mais parecem câmaras de tortura, onde muitos permanecem antes mesmo de serem julgados em alguma instância. As rebeliões são uma terrível consequência da superlotação e das condições extremamente precárias dos presídios, e ao exigirem condições mínimas de habitação, os encarcerados são violentamente reprimidos.

Além da enorme violência a que são submetidos, com a péssima alimentação e sem a menor possibilidade de higiene pessoal, os presidiários são vitimados por doenças que seriam facilmente curáveis do lado de fora, e que no ambiente das prisões se tornam verdadeiras epidemias. As prisões não servem de forma alguma para ressocializar os internos, são apenas depósitos de miseráveis, esquecidos para morrer.

As leis, aplicadas pelo judiciário direitista e pela polícia fascista, só servem para os pobres, que são, de antemão, condenados com sentença de morte dentro e fora dos presídios, por sua classe e cor da pele. Com a continuidade do governo golpista de Bolsonaro, a tendência é de aumento da população carcerária e agravamento da situação de violência dos negros no Brasil.

Exigir leis mais punitivas e ações da justiça e da polícia não resolvem a questão da crescente violência no país, muito menos a discriminação que sofre o povo negro. É preciso derrubar o governo bolsonarista que coloca o exército nas ruas e presídios contra o povo brasileiro.