Massacre de Suzano vira pretexto para a apreensão arbitrária de jovens

13mar2019---adolescentes-atiram-dentro-da-escola-estadual-raul-brasil-de-suzano-sp-1552486424982_v2_1920x1280

Com o massacre em Suzano na Escola Estadual Raul Brasil, a direita e sua imprensa tratou de impulsionar uma campanha de pânico geral e, principalmente, da defesa do reforço do aparato repressor nas instituições de ensino e contra a juventude. Desde o acontecido, instalou-se um verdadeiro clima de terror, com setores da direita fazendo campanha em favor do armamento de determinados setores e do aumento da repressão e militarização das escolas. Foi recorrente desde o massacre, denúncias de supostas ameaças de atentados em outras escolas e universidades pelo país, o que na verdade resultou em uma perseguição direta da juventude.

A maneira como a imprensa burguesa se encarregou de cuidar do caso, teve uma serventia imediata: deu carta branca para a PM agir de maneira ainda mais arbitrária contra os estudantes e mascarar o vínculo da extrema-direita com essa situação. Com as supostas denuncias, foi aberta a brecha para que policias conduzissem os estudantes que estariam por trás do atentado de forma arbitrária para a delegacia, sendo assim sem apurar a veracidade dos fatos.

Foram diversas instituições pelo País que chegaram a cancelar aulas e interditar o prédio, alegando que haviam estudantes planejando ataques contra a instituição. A policia usou esse precedente para se fazer presente e reprimir ainda mais os jovens e adentrar dentro do espaço escolar e universitário. Além da condução coercitiva, os jovens abordados sofreram humilhação dos policias que os expuseram e divulgaram fotos da apreensão; esse é o exemplo do jovem que teve que ser transferido de escola mais de uma vez depois do ocorrido.

O que aconteceu em Suzano, é uma consequência direta da decadência do capitalismo que massacre a juventude e desencadeia essa situação brutal. A repressão contra os jovens agrava ainda mais a situação,  ao passar por cima de direitos elementares da juventude.

É preciso organizar a luta contra a ofensiva da direita nas Escolas e universidades, formando comitês de luta contra a Escola com Fascismo, contra a militarização e a presença da PM na Escolas.