Um dos maiores da história
O programa marxismo tratou nesta semana de apresentar um panorama geral de quem foi Friedrich Engels, parceiro de Karl Marx, e um dos maiores revolucionários da história.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Friedrich-Engels-e-o-fim-do-direito
Conheça quem foi Engels. | Foto: Reprodução

No programa Marxismo desta segunda-feira, Rui Costa Pimenta apresentou o tema “200 anos de Engels”, um especial sobre um dos maiores revolucionários de todos os tempos. Devido ao tempo, Engels que merece um panorama muito maior, o programa resumiu em linhas gerais a sua vida e contribuição com o marxismo.

Engels não era meramente um intelectual

Friedrich Engels teve toda sua teoria, junto a Karl Marx, com uma base real na luta da classe operária e em sua própria militância. Participando da liga dos comunistas e posteriormente na formação da primeira internacional, e tendo papel relevante no surgimento da segunda internacional e o Partido Social Democrata Alemão.

“Engels teve papel fundamental nas ideias do marxismo (…). Existe uma tendência a subestimar o grande companheiro de Marx, acreditando que sua atividade era secundária. O que chamamos de marxismos, deve em grande medida a sua formação ao próprio Engels. Enquanto Marx dedicava-se a formulação das bases econômicas do marxismo, no Capital -obra que Marx não conseguiu terminar e foi finalizada por Engels- Engels foi uma espécie de professor de todo movimento operário na época, fazendo um esforço muito grande de esclarecer todos os aspectos do socialismo científico. Sem a obra de Engels, muitos pontos do marxismo ficariam como uma atividade apenas para profundos conhecedores”, explica Rui.

Um outro ponto relevante é que sua obra não foi apenas uma forma de divulgação do marxismo, mas sim um complemento real a sua teoria e desenvolvimento.

Engels era dentro do quadro familiar um rebelde, se colocando contra o puritanismo e dogmatismo religioso dos pais. Assim, muitos textos foram escritos para esclarecer o problema da religião.

Inicialmente Engels se conectou com o movimento revolucionário democrático alemão, em um período anterior a revolução burguesa de 1848. Essa situação influenciou toda juventude alemã, como Marx e Engels. Tal fato representava toda uma ruptura com a família, que era efetivamente burguesa.

“Engels se junta a um grupo de intelectuais chamado ‘jovens hegelianos’, que tinham uma teoria abstrata sobre a transformação da sociedade, que colocava toda a transformação na intelectualidade. Nesse meio conhece Marx, e imediatamente reconhecem em ambos uma grande identidade e ideias, passando a realizar uma atividade em conjunto, acertando as contas com este grupo, escreve uma obra extraordinária chamada “a ideologia alemã”, uma obra que foi apenas publicada décadas depois, que Marx e Engels não conseguiram publicar na época e resolveram partir para atividades mais práticas”.

Nessa época, tanto Marx quanto Engels passam a ser estabelecer como comunistas. Além disso, foi o próprio Engels que primeiro apontou a economia como base da luta social.

Além disso, Engels nunca cursou uma universidade. No entanto, foi uma das pessoas mais cultas de sua época, dominando 11 idiomas estrangeiros, além de ser um especialistas em história, filosofia e economia era um especialista na teoria militar – sendo dono da maioria dos escritos sobre questões militares – e um grande interessado nas ciências naturais.

Se Marx foi o maior pensador da história da humanidade não tivesse existido, com certeza seria Engels o dono desse posto.

Manifesto comunista e a luta prática

A liga dos comunistas requisita que Engels escreva o primeiro esboço do manifesto comunista, um verdadeiro livro extraordinário, que só viria a ser superado pela redação de Marx, a final do manifesto.

O texto inicial foi feito de perguntas e repostas. A primeira resposta, sobre “o que é o comunismo”, Engels explica “O comunismo é a doutrina de emancipação do proletariado”. Ou seja, não é algo abstrato, mas sim uma doutrina baseado na luta real, uma ferramenta para a luta operária.

“A doutrina marxista estaria voltada diretamente para as condições de libertação da classe operária” pontua Rui.

Engels além disso participou ativamente da revolução de 1848, participando de destacamentos militares e militando sobretudo na I Internacional. Com todas essas características, Engels deu ao marxismo uma extensão fundamental a teoria. Enquanto Marx dedicava-se ao Capital, Engels deu uma enorme amplitude ao marxismo, sendo por exemplo, um dos primeiros a tratarem da opressão da mulher.

Revolução e contrarrevolução na Alemanha e o Anti-Dühring

O primeiro é um livro fundamental do marxismo, trazendo um balanço de 1848 e trazendo as bases da teoria da revolução permanente. O livro explica, que a burguesia já não era mais um classe revolucionária, portanto a revolução teria que ser uma obra da classe operária.

Já o segundo, é um livro completo de vários pontos do marxismo em forma de crítica a um intelectual ascendente da época chamado Dühring. Pela positiva, Engels explica vários fundamentos da teoria comunista e é um livro essencial para qualquer revolucionário.

Confira o programa na integra:

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas