Censura no cinema
O atual secretário da cultura do governo Bolsonaro, buscar censurar filmes que critiquem minimamente a direita.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Mario Frias - Cultura
Mario Frias, ex-globo e atual secretário da cultura. | Foto por: Roberto Castro

Mário Frias, atual secretário de cultura do governo Bolsonaro, procurou a Academia Brasileira de Cinema para influenciar na escolha do filme brasileiro indicado ao Oscar 2021. Frias teria procurado o presidente da instituição Jorge Pellegrino e afirmado que “o ocorrido este ano, não poderia se repetir” se referindo ao documentário “Democracia em Vertigem”, afirmando ainda que o filme indicado “deveria estar alinhado com os objetivos do governo federal”.

O “pedido” de Frias mostra mais um traço autoritário do governo Bolsonaro, mas também revela a sua completa ignorância do setor, o filme de Petra Costa foi indicado ao Oscar, na verdade, pela Netflix, produtora do filme, além do fato da Academia Brasileira de Cinema ser uma entidade privada e não estar ligada diretamente ao governo federal.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas