Marília ou não Marília? O que será da candidata do PT em Pernambuco?

image

O conflito aberto entre a possível candidata do PT para o governo de Pernambuco, Marília Arraes, e a orientação da direção nacional do partido de não lançar candidato no estado, em apoio a Paulo Câmara do PSB, atual governador, revela a disputa interna aberta no interior do partido.

A decisão da direção do PT causou revolta nas bases do partido, expressa, inclusive na posição de Marília Arraes de manter sua candidatura na disputa pelo governo.

A decisão do PT de apoiar o PSB em quatro estados tem relação com a politica de tentar isolar a candidatura de Ciro Gomes, do PDT, retirando apoio que Ciro teria do PSB. A decisão, no entanto, revela uma pressão das alas mais direitistas do PT, uma vez que o acordo estabelecido com o PSB é de neutralidade, ou seja, o partido não ira apoiar abertamente a candidatura de Lula, apenas se colocara como neutro diante da disputa nacional.

O preço pago pelo acordo feito pelo PT com o PSB, nesse sentido, é muito alto, uma vez que o Partido dos Trabalhadores teria condições de ganhar os governos dos estados onde os acordos foram estabelecidos. Um desses estados e o próprio estado de Pernambuco, no qual o PT tem plenas condições de ganhar a eleição de um dos mais importantes estados do nordeste do pais.

Vale destacar ainda que a decisão do PT de não lançar candidato em Pernambuco favorece e muito o setor mais direitista do PSB que está no governo do estado. Paulo Câmara apoiou integralmente a candidatura de Aécio Neves para as eleições presidenciais de 2014.

E preciso ter claro que os acordos estabelecidos com os partidos golpistas, como o PSB, não merecem confiança, uma vez que a posição de neutralidade do PSB é uma carta em branco para que o partido apoie as candidaturas golpistas como a do PSDB e do próprio Ciro Gomes do PDT.