Siga o DCO nas redes sociais

Maranhão: camponeses são atacados pela PM em reintegração de posse
WhatsApp-Image-2019-08-12-at-10.40.55-1024x768-300x225
Maranhão: camponeses são atacados pela PM em reintegração de posse
WhatsApp-Image-2019-08-12-at-10.40.55-1024x768-300x225

Na última segunda-feira, 12 de agosto, a comunidade de Cajueiro, zona rural de São Luiz do Maranhão, foi alvo de uma violenta ação de reintegração de posse levada a cabo pela Polícia Militar do Estado, tendo sida ordenada pelo governador do Estado, Flávio Dino, do PCdoB.

Por trás da ação estão os interesses de uma mineradora, a WPR São Luís Gestão de Portos e Terminais. A empresa pretende construir na área um porto privado para escoar o minério de ferro extraído da Vale.

Na comunidade, vivem cerca de 80 famílias, as quais já possuem o título de pescadores tradicionais há mais de 21 anos.

A pressão contra a comunidade já dura mais de 5 anos. Os moradores denunciam as ações arbitrárias promovidas pelos empresários, como a utilização de jagunços, demolição de casas, aterramento de mangue, dentre outros.

Os moradores da comunidade estão acampados em frente à sede do governo estadual, desde o dia 11, denunciando as ações de violência por parte da polícia.

Diante do avanço do golpe de estado no país, os governos da esquerda pequeno-burguesa, como é o caso de Flávio Dino, do PCdoB, cedem cada vez mais  à política bolsonarista de repressão e violência ao povo pobre, imposta pela extrema-direita golpista.

Isso demonstra que não se pode ter qualquer ilusão em uma saída pela via institucional para a crise que toma conta do país. É preciso organizar os comitês de auto-defesa no interior das comunidades rurais, como o caso de Cajueiro, lutar pela defesa do direito legítimo de moradia e mobilizar o povo para derrotar a política da extrema-direita golpista imposta no país.