A farsa das “pesquisas”
Burguesia se utiliza das pesquisas para inflar seus candidatos favoritos para a próxima eleição muncipal
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
bruno-covas-reabre-escolas-e-universidades-em-7-de-outubro-1600383318
Bruno Covas ao lado de Doria, golpistas que governam SP | Foto: Reprodução

As pesquisas encomendadas pelos institutos burgueses não passam de meras propagandas fabricadas em prol daqueles candidatos, governadores, prefeitos e presidentes que têm o apoio da própria burguesia. Nesta semana, por exemplo, foi divulgada uma pesquisa do IBOPE dando conta de que o atual presidente golpista, genocida e fascista, Jair Bolsonaro, teria atingido 40% de aprovação entre a população, um recorde de sua administração. Trata-se de uma falsificação aberta.

O país vive uma de suas piores crises históricas, com recorde mundial no número de contaminados e mortos pelo coronavírus. Inflação, desemprego superior à população ativa, fome, etc. É preciso ser muito ingênuo para acreditar que, em um cenário como este, a população brasileira, em sua maioria quase, apoia de fato Bolsonaro.

O objetivo da pesquisa é justamente passar uma imagem de aparente apoio para um governo em crise. Tentar demonstrar para a população uma certa autoridade deste governo, mesmo que ela não seja real, de fato.

Assim como ocorreu com Bolsonaro, aconteceu também com o atual prefeito golpista de São Paulo, Bruno Covas, do PSDB.  Aqui tem o agravante de que Covas é candidato à reeleição pelo PSDB. Ou seja, neste caso a pesquisa serve também como propaganda eleitoral para o atual prefeito. De acordo com os números do Datafolha, Covas tem a aprovação de ótimo/bom para 37% dos pesquisados e regular para 38%.

A pesquisa apontou ainda que as chamadas medidas adotadas contra o coronavírus por Covas foram consideradas as melhores, em comparação com outras cidades do País, para 35% dos pesquisados.

O segundo dado é aberrante quando se verifica que não houve qualquer medida de fato adotada por Covas contra o coronavírus. Assim como os outros governos, a única política adotada pelo tucano foi o limitadíssimo isolamento social, o qual já nem existe mais, pois foi colocado abaixo pela burguesia.

O município de São Paulo está prestes a atingir a marca de 1 milhão de contaminados e 40 mil mortos, está no topo das cidades com maior número de contágios e mortes em todo o país.

Diante deste quadro, no qual se soma a crise econômica, é muito difícil acreditar que Covas conta com o apoio de quase a metade dos paulistanos.

Como dissemos anteriormente, não passa de uma falsificação fabricada pela burguesia com o intuito de promover seu candidato preferencial para a prefeitura da capital paulista.

Este fato demonstra também o caráter completamente antidemocrático das eleições, apesar de praticamente todos os setores da esquerda nacional embarcarem de cabeça na chamada “festa da democracia”.

As eleições são completamente controladas pela máquina de falsificação e censura da burguesia. Esta utiliza-se das pesquisas e de outros recursos para inflar determinados candidatos convenientes a ela, esconder outros que não apoia, perseguir determinadas campanhas, censurar ou até mesmo cassar aqueles que não são convenientes.

A única forma de uma participação consequente da esquerda no processo eleitoral é denunciando estas manobras, ou seja, a farsa das eleições, e chamando o povo a se mobilizar contra todo este regime cada vez mais abertamente ditatorial imposto pelos golpistas. É preciso impulsionar a luta pelo Fora Bolsonaro e todos os golpistas.

 

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas