Siga o DCO nas redes sociais

Samba pela liberdade de Lila
Mangueira: samba em referência a Lula concorre para o carnaval 2020
Samba-enredo da Mangueira deve denunciar medidas dos golpistas
mangueira
Samba pela liberdade de Lila
Mangueira: samba em referência a Lula concorre para o carnaval 2020
Samba-enredo da Mangueira deve denunciar medidas dos golpistas
Ilustração do samba-enredo da Mangueira
mangueira
Ilustração do samba-enredo da Mangueira

Um dos sambas-enredo concorrentes da Escola de Samba Estação Primeira de Mangueira fala sobre a volta de jesus em um mundo de intolerância, citando várias pessoas que foram assassinadas por motivos de intolerância e repressão.

A música se inicia com uma frase dita pelo ex-presidente Lula: “Uma ideia não se prende, sobrevive” mostrando um tom de apoio à Lula

Em outra parte, a música fala sobre Kayllane Campos citando o verso “Chorou, ao ser Kayllanes apedrejadas”, Kayllane é neta de uma mãe de santo no Rio de Janeiro e tinha somente 11 anos de idade quando foi apedrejada por fanáticos religiosos, por vestir roupas típicas do candomblé.

A música fala também do índio Galdino, que foi assassinado, queimado vivo, em um ponto de ônibus em Brasília

O pedreiro Amarildo também está presente na música, morador da rocinha sequestrado e assassinado covardemente pela Polícia Militar em 2013 E também fala sobre Chico Mendes, sindicalista, ambientalista e ativista político assassinado.

A letra da música mostra em si, um tom de descontentamento com toda a repressão, intolerância e assassinatos (todos incentivados pelo presidente ilegítimo, Jair Bolsonaro) e também um apoio às reivindicações da esquerda e da luta pela liberdade de Lula.

O samba concorrente, que é o samba número 15 , foi composto por Deivid Domênico, Tomaz Miranda, Mama e Márcio Bola. Domênico é um dos compositores do atual samba campeão da Mangueira no Carnaval 2019. Além de compositor, ele é trabalhador dos Correios.