Vale tudo das eleições
Em meio a eleições cada vez mais antidemocráticas e controladas pela extrema direita, a esquerda pequeno burguesa apresenta os “mandatos coletivos” para fazer demagogia eleitoral
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
15679_mandato-coletivo2-jpg
Muita demagogia e 'nova' política para esconder o caráter das candidaturas | Imagem: Divulgaçao.

A ideia de mandato coletivo tem sido amplamente propagado entre a esquerda pequeno burguesa nas eleições e a cada eleição que passa é colocada novos “mandatos coletivos”, e que vão longe como “mandatos coletivos feministas, trans, negrxs e por aí vai.

A esquerda pequeno burguesa dentro do PCdoB, PDT, PSOL e PT lançam dezenas de mandatos coletivos que não apresentam nenhuma proposta inovadora e somente reforçam que os partidos da esquerda não possuem nenhum programa a ser seguidos pelos seus candidatos.

As eleições é um vale tudo para ganhar votos e apoio de setores da classe média direitista que se apegam a questões irrevantes. Isso porque os mandatos coletivos são apenas uma ferramenta para fazer demagogia eleitoral, em primeiro lugar porque sempre um candidato tomará conta do mandato ou o grupo bem reduzido seguirá a sua politica independente do partido em que foram eleitos sem seguir o programa do partido.

Ou seja, os mandatos coletivos são apenas uma maneira de fazer demagogia nas eleições, mas que são a mesma forma de fazer política tradicional da burguesia, como outras modas eleitorais, como defesa do meio ambiente ou dos direitos dos animais, em que burguesia se utiliza de questões ‘éticas’ e ‘morais’ para obter votos.

Não adianta nada possuir mandatos coletivos se a política não é correta, não a ver- de fato – a ver com os interesses coletivos da classe trabalhadora e demais setores explorados. É como um parlamentar negro e que não defende o direito da população negra. Como é caso, dentre tantos, do mandato de Fernando Holiday (DEM-SP), negro que defende o fim de todas as conquistas do povo negro e chama racismo de ‘mimimi’. O mandato coletivo vai no mesmo sentido.

O importante é o programa do partido. Daí podemos ter confiança na postura dos parlamentares de determinado partido, caso a saída seja mandatos coletivos onde não se aplica o programa do partido, essa composição é apenas mais uma forma de participar das eleições sem nenhuma defesa dos trabalhadores e mostra que a esmagadora maioria dos partidos da esquerda não possuem um programa e nem exigem dos seus candidatos seguir uma política determinada. É um vale tudo eleitoral.

Tem que ficar claro que o significado de mandato coletivo não é romper com as candidaturas burguesas e tradicionais, pois não é porque é coletivo (onde apenas meia dúzia de pessoas tomam as decisões) que deixa de ter as características das candidaturas burguesas e de ataques aos trabalhadores.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas