Mais uma agência do Banco do Brasil, no agreste pernambucano, será fechada após assalto

BANCO-DO-BRASIL-2013-2

Com a justificativa dos assaltos com explosões a direção golpista do Banco do Brasil fechará, possivelmente, mais uma agência no agreste pernambucano.

Depois de permanecer quase o ano todo de 2017 fechada e os primeiros cinco meses de 2018 após explosão por motivo de assalto, a direita golpista que tomou conta da direção do Banco do Brasil, após do impeachment comprado da presidenta Dilma Rousseff, resolve retirar móveis e equipamentos da agência Amaraji, localizada na zona da mata do agreste pernambucano. Tal medida não deixa dúvida que a próximo passo será o fechamento definitivo da dependência bancária.

O fechamento da agência tem revoltado os usuários e correntista do município que estão obrigados a se deslocar 40 km de distância para a cidade mais próxima, Gravatá, para ter atendimento; além de percorrer longa distância enfrentam horas de espera para serem atendidos, conforme denúncia de uma correntista que chegou no banco para efetuar um pagamento e ficou esperando desde 11h até às 17h para ser atendida. A agência Gravatá triplicou a quantidade de clientes e usuários prejudicando toda a população da região e sobrecarregando os trabalhadores já que a agência continua com o quadro de funcionários inalterado.

Esse fato revela, mais uma vez, o que este Diário vem denunciando sistematicamente: os ataques por parte do governo golpista aos trabalhadores e a instituição Banco do Brasil, como patrimônio do povo brasileiro, visa abrir caminho para sua privatização. É necessário organizar imediatamente uma forte mobilização, em conjunto com os demais trabalhadores, para derrotar o golpe e todas as suas medidas.