Massacre na Colômbia
Desde a assinatura do Acordo de Paz em 2016, já existem 258 ex-combatentes das FARC-EP assassinados na Colômbia, 9 somente este ano
Respetro
Leonel Antonio Respetro Arenas, ex-combatente assassinado em Antioquia | Foto: Reprodução
Respetro
Leonel Antonio Respetro Arenas, ex-combatente assassinado em Antioquia | Foto: Reprodução

Telesur – O ex-combatente das FARC-EP Leonel Antonio Restrepo foi baleado no município de Cañasgordas, informou o partido Los Comunes neste domingo (14), afirmando que ele se tornou o nono ex-rebelde morto até agora em 2021.

No auge do município de Cañasgordas, no oeste de Antioquia, homens armados interceptaram a motocicleta na qual viajavam o ex-combatente e um parente. Desde a assinatura do Acordo de Paz em 2016, já existem 258 signatários assassinados.

Restrepo, que pertencia à 34ª frente das FARC-EP, tinha avançado o seu processo de reincorporação nos Espaços Territoriais de Formação e Reincorporação (ETCR) da aldeia de La Blanquita, situada no Frontino, também na zona oeste do departamento.

O crime ocorreu no departamento de Antioquia, em uma Nova Área de Reincorporação (NAR) do distrito de La Blanquita, no município de Frontino. Embora o atentado tenha ocorrido na manhã de sábado, 13 de fevereiro, o corpo só foi reconhecido nas primeiras horas da madrugada. 

Neste sábado, o ex-combatente estava se mobilizando em uma motocicleta com um acompanhante da cidade de Medellín a Frontino. No auge do município de Cañasgordas, foram interceptados por homens armados que atiraram em ambos.

Seu companheiro, Alexander Mejía, que era parente de um ex-membro das FARC-EP e também residente em La Blanquita, morreu horas depois em um centro de saúde em conseqüência dos ferimentos.

Autoridades do Ministério Público confirmaram neste sábado a descoberta do corpo de Juan Carlos Correa, ex-integrante das FARC-EP que se encontrava em processo de reincorporação e estava desaparecido há mais de 20 dias. Correa foi detido por desconhecidos quando percorria uma rodovia entre San Andrés de Cuerquia e o Vale do Toledo, no norte de Antioquia. 

Duván Jaramillo, conselheiro de direitos humanos do partido Comunes (ex-FARC) no departamento, explicou que a localização da sepultura onde o corpo de Juan Carlos Correa foi mantido foi possível após as informações fornecidas por supostos integrantes do grupo criminoso Pachelly, que seriam os responsáveis ​​pelo desaparecimento e posterior homicídio.

Relacionadas
Send this to a friend