“Mais duras sanções da história”: EUA querem quebrar governo do Irã

irã

Nesta segunda-feira, 21/05, o Secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, fez um pronunciamento no centro de pesquisa Heritage Foundation em que promete aumentar a repressão contra o Irã. Mike Pompeo, que atualmente é Secretário de Estado do governo de Donald Trump, já foi diretor da Agência Central de Inteligência (CIA), é afirmou que irá aplicar contra o povo iraniano as “sanções mais fortes da história”.

No inicio deste mês os Estados Unidos abandonaram o acordo nuclear que haviam firmado com o Irã em 2015 e passaram a uma política de confronto com o governo iraniano, ameaçando estrangular economicamente o país. O acordo nuclear de 2015 foi firmado entre Irã, Estados Unidos, Reino Unido, França, Alemanha, China e Rússia e tinha como intenção limitar o programa nuclear iraniano em troca do alivio das pressões econômicas ao país.

Neste momento, em que o imperialismo mundial se encontra fragilizado, principalmente devido à derrota de sua estratégia militar na Síria e na Turquia (onde um golpe de Estado financiado pelos norte americanos fracassou), os norte americanos assumem uma política internacional mais ofensiva tendo em visa assegurar seus interesses na região, principalmente o petróleo. Mike Pompeo afirmou ainda que os EUA só estão dispostos a suspender as sanções caso o Irã concorde com uma série de exigências a respeito de sua política interna e externa. As exigências do imperialismo incluem o fim do programa nuclear iraniano, a interrupção do enriquecimento de urânio e nunca buscar o reprocessamento de plutônio, além do fechamento de seu reator de água pesada (com resíduos nucleares). Os americanos ainda querem a permissão de inspetores internacionais a todos os lugares, incluindo pontos militares, onde há suspeitas de pesquisa nuclear clandestina em andamento. Por ultimo, Pompeo ainda afirmou que o Irã devia libertar todos os cidadãos americanos presos no país, independente das condenações que pese sobre eles, o que seria um total absurdo (vale lembrar que os norte americanos mantém uma prisão em Guantánamo com centenas de presos políticos, incluindo iranianos).

O imperialismo quer esmagar o Irã e para isso usa o programa nuclear como uma desculpa, mais do que esfarrapada, pois todos sabem que os norte-americanos são os maiores possuidores de armamento nuclear no mundo inteiro. Os ataques dos norte americanos irão estrangular a economia iraniana e provavelmente atacarão a população mais pobre deste país, atacando as condições de vida de centenas de milhares de pessoas. A verdade é que o imperialismo se julga dono do mundo inteiro e ataca violentamente todos aqueles que se opõem a realização de seus interesses, não respeitando as decisões de nenhum país e desferindo uma série de ataques aos países atrasados que incluem desde sanções econômicas até intervenções militares.

É bom lembrar que o Irã, em que pesem todas as suas contradições, tem sido um dos principais responsáveis pela resistência dos povos do oriente médio contra invasão imperialista, dando apoio a varias organizações que combatem as tropas americanas e os mercenários financiados pelo imperialismo. Além disso o Hezbollah, grupo apoiado pelo Irã, obteve uma enorme vitória eleitoral nas ultimas eleições do Líbano, o que deixa as relações desfavoráveis para o imperialismo na região.