Mais de um milhão de colombianos na Venezuela: a crise humanitária é onde mesmo?

104823375-RTS1GV7Z-nicolas-maduro

Uma reviravolta espetacular na Venezuela. A economia da Venezuela passou, depois da Primeira Guerra Mundial, de essencialmente agrícola para uma economia centrada na produção e exportação de petróleo.

Hoje pois, a Venezuela tem uma economia voltada para a exportação. Isso mesmo, a principal atividade econômica é a exploração de pretóleo e de refino de petróleo.

Porquanto a economia da Venezuela assenta na sua volumosa exportação de petróleo, pois este país da América Latina possui uma das maiores bacias petrolíferas do mundo.

Contudo, as recentes descoberta de jazidas de ouro na Venezuela somadas ao grande poder econômico que o petróleo confere ao país, faz desse local do planeta o objeto de cobiça do imperialismo.

Não fosse Venezuela responsável pelo maior PIB per capita da América Latina, fosse Venezuela uma Uganda, Somália e demais países pobres da África e Ásia o imperialismo não estaria interessado em levar a estas terras a mesma “democracia” que levaram à Ucrânia, Líbia, Iraque e demais países invadidos.

Em 2007 a República Bolivariana de Venezuela (cuja moeda é o Bolívar Fuerte) apresentasse o maior crescimento do PIB da América Latina (8,4%) e uma inflação anual de 22,5%. E, mais, a economia venezuelana permitiu à população daquele país uma renda per capita de 8.125 dólares, hoje, o bloqueio e sabotagem de produtos à Venezuela, criaram uma crise artificial naquele país.

A revolução bolivariana teve ainda mais êxito ao fazer algo até então inédito na Venezuela e finalmente distribuir as riquezas oriundas do “ouro negro” explorado no país. Contudo, Hugo Chávez e agora Maduro, cometeram um erro capital: deixaram sobreviver a sua burguesia nacional entreguista, aliada do imperialismo.

Apesar de muitos problemas na Venezuela assistimos recentemente uma migração constante de colombianos para a Venezuela. O aprofundamento da crise econômica, política e social no país vizinho acelera o êxodo de centenas de milhares de cidadãos determinados a buscar melhores condições de vida na Venezuela.

É claro que o imperialismo faz propaganda de desinformação, inclusive com vídeos preparados pela CIA dizendo que “o fluxo de migrantes da Venezuela em direção às cidades colombianas e brasileiras já se assemelha ao fluxo mensal de migrantes que cruzaram o mar Mediterrâneo”.

A propaganda de guerra do imperialismo chega a dizer que “De acordo com o “Migração Colômbia”, mais de 550 mil venezuelanos estão em território colombiano, seja de forma irregular ou regular”…

O método utilizado pelo imperialismo na Venezuela foi o mesmo usado na Síria: apesar de a crise na Venezuela não resultar de conflito armado (ainda), a situação da Síria, um país com população menor no que a do país sul-americano, pode servir de exemplo.

O imperialismo e sua imprensa alardeiam que a Venezuela vive em uma crise eterna, quando, na verdade, quase todos os países capitalistas, especialmente os do tipo da Colômbia, mal conseguem sustentar os mais elementares direitos de sua população.