Fora imperialismo da Venezuela
Pesquisa realizada na Venezuela demonstra repúdio popular à ingerência imperialista
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
venezuela-5
Povo venezuelano pede Fora Estados Unidos! | Reprodução

Diante da atual crise que o capitalismo atravessa em todos os países do mundo, uma recente pesquisa, realizada pela empresa Hinterlaces, demonstra a evolução da consciência do povo, de um país atrasado, diante dos ataques do imperialismo. O rechaço à normalização das relações bilaterais entre os governo da Venezuela e dos Estados Unidos pelos venezuelanos é muito grande e atinge 82% da população. O povo do país sul-americano diz não ao diálogo com o maior país imperialista do mundo.

A crise econômica mundial, que eclodiu em 2008 e que foi intensificada pela pandemia da COVID-19, resultou em ataques cada vez mais abertos contra o governo chavista, sob o comando de Nicolás Maduro, na Venezuela. O país sul-americano é vítima de um bloqueio criminoso pelo imperialismo que não permite a entrada de alimentos, remédios e insumos básicos para a populacão, inclusive para o combate ao coronavírus.

Além disso, a Venezuela teve sequestrado ativos, como valores em contas bancárias e patrimônios da estatal petroleira PDVSA pelos Estados Unidos. O país latino-americano ainda teve 1 bilhão de dólares em ouro roubado pelo Banco da Inglaterra. A Venezuela também sofreu diversas tentativas de invasão por mercenários financiados pelos Estados Unidos que, em conjunto com governo fascista da Colômbia, buscavam desestabilizar o governo de Maduro, porém terminaram neutralizadas pela milícias populares e pelas forças armadas chavistas.

Segundo a pesquisa, que reflete uma parte da consciência do povo diante desta situação, 83% da população se posiciona contra a aplicação de sanções econômicas por parte dos Estados Unidos, que tem como objetivo derrubar o governo chavista. Já 81% dos consultados acreditam que as sanções afetam diretamente a população e não apenas as autoridades governamentais.

O forte sentimento anti-imperialista que há nas massas venezuelanas – mostrado em alguma medida na pesquisa, pois possivelmente o repúdio ao imperialismo seja maior do que 83% – aponta que o chavismo deve parar de buscar conciliação política com o imperialismo agressor e avançar no processo revolucionário com a expropriação das empresas capitalistas, ligadas ao próprio imperialismo. Bem como decretar a prisão de seus agentes, que atuam no território venezuelano, inclusive do autoproclamado presidente Juan Guaidó, reconhecido por mais de 50 países que inclui a União Europeia e os Estados Unidos. O grande capital nacional, que colabora com a desestabilização política, deve ser igualmente expropriado.

É preciso organizar uma ampla campanha de agitação, propaganda e mobilização em todos os países da América Latina em defesa da soberania do povo venezuelano, no sentido de impedir a ingerência imperialista não somente neste país sul-americano, mas em todos os demais países do continente. Abaixo a intervenção imperialista na Venezuela! Fora imperialismo da América Latina!

 

 

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Relacionadas