Desmonte da Petrobrás
Nesta sexta-feira (25), a Petrobrás anunciou a intenção de venda dos campos de Albacora e Albacora Leste, ambos situação na Bacia de Campos (RJ)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
teste-1200x1200-1
Campos de Albacora e Albacora Leste à venda | Foto: Reprodução

O governo Jair Bolsonaro (ex-PSL, sem partido) avança no desmonte da Petrobrás e na entrega da riquezas nacionais para o capital estrangeiro. Nesta sexta-feira (25), a Petrobrás, dirigida pelos golpistas, entregou sua participação de 40% na GNL Gemini Comercialização e Logística de Gás (Gás Local), empresa de distribuição e transporte de gás natural liquefeito (GNL) via caminhão, para a empresa White Martins. Esta última é propriedade do grupo transnacional Linde Group, sediada em Munique, Alemanha.

A empresa petrolífera brasileira distribuiu um documento aos investidores onde informa a intenção de venda de 100% de sua participação como operadora de águas profundas de Albacora e 90% de sua participação no Albacora Leste. Os campos de Albacora e Albacora Leste estão localizados na área norte da Bacia de Campos, estado do Rio de Janeiro. Em agosto deste ano, primeiro produziu 38,7 mil barris de óleo por dia e 716 mil m3/dia de gás. Já o Albacora Leste produziu 33,3 mil barris de óleo por dia e 707 mil m3/dia de gás.

A entrega das riquezas nacionais para o capital estrangeiro é levada adiante de forma conjunta por Jair Bolsonaro, o Congresso Nacional, as Forças Armadas e o poder judiciário. O Supremo Tribunal Federal (STF) autorizou a entrega do patrimônio nacional. Desde que assumiu o governo, Bolsonaro entregou campos petrolíferos, plataformas e subsidiárias da Petrobrás, como a BR Distribuidora.

O golpe de Estado de 2016 teve como um dos seus principais eixos a entrega das bacias de petróleo do pré-sal descobertas no Brasil. O imperialismo, em especial o americano, precisava derrubar o governo Dilma Rousseff (PT) para poder implementar uma política de saque das riquezas nacionais. Os governos do Partido dos Trabalhadores buscavam colocar obstáculos à sanha imperialista pela tomada do petróleo e das fontes minerais.

A Petrobrás representa cerca de 12% do Produto Interno Bruto do país. É um sistema que gera demanda por serviços de engenharia, pesquisa científica e gera milhões de empregos em uma complexa cadeia produtiva. O imperialismo interveio nas eleições presidenciais de 2018 para impedir o ex-presidente Lula (PT) de se candidatar e pôr um político que atendesse aos seus interesses. Este é Jair Bolsonaro.

O capital financeiro internacional busca se apropriar totalmente da petroleira brasileira. O consórcio das empresas petroleiras internacionais busca eliminar uma das empresas estatais mais importantes do mundo, propriedade do povo de um país oprimido, de capitalismo atrasado, caso do Brasil. É preciso mobilizar os trabalhadores do ramo petroleiro e ocupar as unidades da empresa para impedir sua destruição.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas