Siga o DCO nas redes sociais

Abaixo a agressão imperialista
Maioria dos norte-americanos é contra agressão dos EUA contra o Irã
Isso demonstra que é extremamente impopular a agressão contra os países oprimidos, dentro dos próprios EUA. Exemplo disso são as frequentes manifestações de rua
1578191352782
Abaixo a agressão imperialista
Maioria dos norte-americanos é contra agressão dos EUA contra o Irã
Isso demonstra que é extremamente impopular a agressão contra os países oprimidos, dentro dos próprios EUA. Exemplo disso são as frequentes manifestações de rua
Manifestantes contra a guerra no Irã e as tropas dos EUA no Iraque, ontem. Foto: Getty Images
1578191352782
Manifestantes contra a guerra no Irã e as tropas dos EUA no Iraque, ontem. Foto: Getty Images

Da redação – Pesquisa da Reuters/Ipsos divulgada nessa quarta-feira (08) mostra que 53% dos cidadãos norte-americanos estão contra a agressão do governo dos EUA, presidido por Donald Trump, contra o Irã, representada especialmente pelo assassinato do general Qassem Soleimani na última sexta-feira (03).

Trata-se de um aumento de 9% em relação à pesquisa anterior, sobre o mesmo tema: a política de Trump em relação ao país persa. Em dezembro, 44% dos entrevistados dizia “desaprovar” o rumo tomado pelo presidente republicado.

Além disso, 39% responderam à atual pesquisa que “desaprovam fortemente” a política norte-americana, de agressão criminosa contra o povo iraniano, um crescimento de 10% em relação a dezembro.

Isso demonstra que é extremamente impopular a política tradicional do imperialismo de manter agressões contra os países oprimidos, dentro dos próprios Estados Unidos. Exemplo disso são as frequentes manifestações de rua que sempre ocorrem no país quando o Pentágono orquestra grandes ataques, como em 2018 com os bombardeios a Damasco, capital da Síria, ou durante as guerras imperialistas do Iraque e do Afeganistão.

Dezenas de cidades norte-americanas foram palco nos últimos dias de protestos contra o assassinato de Soleimani. Ontem, houve uma manifestação na Times Square, em Nova Iorque, na qual os manifestantes pediam o fim da presença imperialista no Oriente Médio. Os gritos eram de “Abaixo à guerra no Irã! Não aos assassinatos! Não às intervenções! Não às sanções!”.