A luta das mulheres
O método de luta das mulheres, para o PCO, é a organização independente das mulheres pela auto-defesa, e não a dependência da repressão do estado burguês, inimigo da mulher!
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Mulher
Defender a repressão do estado burguês não ajuda a mulher, oprime ainda mais | Foto: Circuito Fora do Eixo

A questão do combate a violência contra a mulher voltou a ser tema com a re-exposição do caso pela imprensa golpista, em que o jogador de futebol Robinho é acusado de estupro. O caso que se passa na Itália e está em processo foi usado em momento oportuno para causar histeria na es, principalmente a parcela mais entusiasta da repressão. A repercussão do caso resultou em um passo atrás na negociação do Santos com o jogador.

Enfim, como habitual, a burguesia busca os melhores momentos e representantes da barbárie capitalista para justificar mais repressão na forma de facilitar o encarceramento, prolongá-lo e até torná-lo um inferno ainda pior. Entretanto, tal repressão não faz avançar um milímetro a solução do problema da violência contra a mulher. Esse fato é bem conhecido e só não é notado de imediato por conta do clima de frenesi causado pela burguesia.

Para o PCO, a análise da questão passa pela sobriedade de capturar os aspectos políticos e não morais, criminais do problema em curso. A repressão é desempenhada pelo judiciário e pela polícia judiciária, dois inimigos declarados da mulher e impositores de uma verdadeira ditadura e genocídio da população em geral. Qual o avanço em direção a liberdade da mulher viria pelas mãos dos seus maiores algozes?

É preciso visualizar a raiz do problema da opressão e da violência em geral: a barbárie que emerge da decadência econômica e social do capitalismo. Não é possível acreditar racionalmente que o Estado burguês pode resolver o problema que, em partes, é causado por ele. Não teremos sucesso investindo na frente com a burguesia a favor da repressão, é preciso uma alternativa independente.

Uma alternativa que considere avançar a organização da mulher em torno da sua auto-defesa, do controle operário da segurança e do tratamento dos problemas nas suas origens sociais. Que busque retirar do poder a fonte geradora da barbárie e do caos social e também da opressão contra a mulher, a burguesia. De criar um movimento das mulheres que possa reivindicar junto ao Estado Operário aberto à transformação social a solução dos seus problemas.

É preciso, acima de tudo, ser contra a repressão que recaí sobre as parcelas mais oprimidas da sociedade, o que incluí as mulheres, sobretudo as mulheres operárias. Entender que esse método de luta de frente com a burguesia é ineficaz para pôr em prática os verdadeiros interesses da mulher na sociedade e é pretexto para o aumento da repressão também para nós mulheres! Não podemos dar razão àqueles que defendem a repressão como meio de solução dos problemas sociais como Bolsonaro, os golpistas e todos aqueles que tem relações com a burguesia! Pelo Fora Bolsonaro e todos os golpistas! Pela defesa de Lula! Pela organização independente das mulheres! Pelo Estado Operário Transformador!

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas