Ditadura nas universidades
O presidente da Câmara afirmou que o presidente não pode editar uma medida sempre que quiser, pois, caso contrário, de que serviria o parlamento? Mais uma crise dentro da ditadura!
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
maia
Os dois golpistas, lado a lado | Foto: Marcos Corrêa

O presidente golpista da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), afirmou nesta quarta-feira (10), que a Medida Provisória 979, que permite ao ministro da Educação, Abraham Weintraub, nomear reitores de universidades e institutos federais durante a pandemia, é inconstitucional.

Maia disse ainda que, caso o Supremo Tribunal Federal (STF) não derrube a medida provisória (MP) 979, o Congresso o fará, e que será barrada “por um grande acordo na Casa”.

“Uma medida provisória em cima de uma outra editada no mesmo ano, com muita conexão dos termos. Daqui a pouco você não tem mais necessidade de lei, vai editando uma medida provisória atrás da outra, com objetos parecidos, similares, e você tira completamente a relevância, a importância do parlamento brasileiro”, afirmou Maia à GloboNews.

Aqui vemos a crise entre os golpistas ganhando novos contornos e em maior proporção. As ações de Bolsonaro visam transformar um regime em uma ditadura, como em 1964, onde os generais editam, derrubam, criam leis, e o Congresso se transforma em mero fantoche político. Porém, para alguns setores da burguesia nacional, estas medidas não cabem para o atual momento, por interesses próprios ou de suas organizações.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Relacionadas