Reforma administrativa
A reforma administrativa, proposta por Jair Bolsonaro ao Congresso Nacional, é o maior ataque aos servidores públicos nas últimas décadas.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
rodrigo-maia-2
Rodrigo Maia (DEM-RJ), presidente da Câmara dos Deputados. | REUTERS

Em entrevista ao Globonews, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse que a reforma administrativa será postergada para o próximo ano.

Nas próximas semanas, será instalada uma comissão especial para debater o mérito da proposta de reforma administrativa apresentada pelo governo Jair Bolsonaro (ex-PSL, sem partido). Este é um passo posterior à análise da constitucionalidade do projeto pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), que está suspensa em virtude da pandemia do coronavírus.

Dentre outras modificações, a reforma administrativa retira a estabilidade dos servidores públicos em todo o país. É considerada o principal ataque aos servidores públicos das últimas décadas. Com a retirada da instabilidade, o bolsonarismo terá mais facilidade de implementar uma política de depuração, isto é, de perseguição aos seus opositores políticos no serviço público e demiti-los.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas