Não seremos colônia
Segundo Maduro, “a política de Donald Trump falhou miseravelmente.
nicolas-maduro-comemorou-a-conquista-eleitoral-de-seu-movimento-politico-1607353270572_v2_976x549
Nicolás Maduro, presidente da Venezuela em comemoração após resultado das eleições | Reprodução
nicolas-maduro-comemorou-a-conquista-eleitoral-de-seu-movimento-politico-1607353270572_v2_976x549
Nicolás Maduro, presidente da Venezuela em comemoração após resultado das eleições | Reprodução

Nesta terça-feira, 8, o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, em entrevista coletiva concedida à mídia nacional e internacional, afirmou que a política de Trump fracassou “miseravelmente” e reiterou seu desejo de manter um diálogo aberto e respeitoso com o novo governo dos EUA.

“A política de Donald Trump falhou miseravelmente e você já pode ver onde Trump e [Juan] Guaidó [presidente da Assembleia Nacional (AN)] e nós tiramos suas conclusões”, disse Maduro à mídia nacional e internacionais no Palácio Miraflores, em Caracas.

O mandatário Venezuelano relatou que Trump adotou a doutrina Monroe para atacar os povos da América Latina, e expressou seu desejo de que um dia os Estados Unidos “abandonem a doutrina Monroe e vejam a Venezuela de outra perspectiva”.

Segundo Maduro, o que existe nos EUA é uma espécie de “extremismo ideológico” que levou a elite governante a acreditar que, ao decidir nomear outro presidente, “os venezuelanos iriam obedecer como se fôssemos uma colônia”. A Venezuela, porém – insistiu Maduro, mostrou à Trump e aos extremistas, supremacistas em Washington que “nós não somos e não seremos uma colônia ianque (…) ou de qualquer outra pessoa”.

Mesmo sob constante ameaça e ataques por parte do imperialismo, tendo os EUA como ponta de lança, o presidente venezuelano fez questão de frisar na coletiva de imprensa que seu governo sempre esteve disposto a estabelecer relações de comunicação, diálogo e respeito com os líderes dos Estados Unidos.

Relacionadas
Send this to a friend