Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
macri
|

A Argentina contraiu um empréstimo de US$50 bilhões do FMI, que será concedido em parcelas durante 36 meses. Mauricio Macri põe a Argentina novamente nas garras do FMI, assinando o tradicional acordo de corte de gastos sociais para conter a crise inflacionária causada por sua própria gestão entreguista. As taxas de juro chegaram a 40% e o peso argentino perdeu 22% de seu valor.

O povo não quer esse empréstimo, tampouco as consequências sociais que ele trás. Num país de alta da inflação (20% ao ano) e reajuste salarial de apenas 15%, sofrer a ampliação dos cortes de gastos com a população é perigoso para os trabalhadores. A Conferência Geral dos Trabalhadores encontrou-se com Macri e promete greve em repúdio ao acordo com o FMI e em favor do aumento salarial mínimo de 20% (para cobrir a inflação).

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas