Direita avança
Em situação normal estes despejos já são um verdadeiro crime da burguesia contra o povo e agora se tornam ainda mais graves por conta da pandemia, revelando seu caráter fascista
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
despejo
Casas de camponeses foram destruídas | Foto: Reprodução

Na ultima terça-feira (11) camponeses do sul do Maranhão foram expulsos de suas terras em mais um despejo promovido contra a população pobre e trabalhadora. Em situações normais estes despejos já são um verdadeiro crime da burguesia, mas que agora se tornam ainda mais graves por estarem acontecendo em meio à uma pandemia que já matou mais de 100 mil pessoas no país.

No local viviam diversas famílias camponesas que trabalham nas terras e dependem dela para sobreviver, com a expulsão que teve até a destruição de casas, estas famílias estão desabrigadas, sem trabalho, sem meios de se manter e ainda mais expostas à contaminação do coronavírus.

O despejo foi ordenado por decisão judicial mostrando mais uma vez o caráter impopular das instituições que servem ao estado burguês. O judiciário, o legislativo, a polícia, etc, são apenas instrumentos usados bela burguesia para atacar a classe trabalhadora, e como tal estas instituições se colocam como verdadeiros inimigos do povo, o que fica evidente com as ordens de despejo que prejudicam os trabalhadores em prol dos interesses da burguesia.

Não por acaso, tendo em vista este contexto, também chegou a público a tentativa de despejo de um assentamento do MST em Minas Gerais, o que demonstra como a direita está avançando cada vez mais e como isto é extremamente perigoso para a população.

Em Minas Gerais por sua vez, o despejo foi impedido pelos sem terra do Quilombo Campo Grande que enfrentaram a polícia fascista enviada pelo direitista Zema (Novo) e permanecem até agora tentando impedir, pela mobilização popular, que a direita consiga seu objetivo.

O exemplo dos sem terra deve ser seguido em todos os locais que forem ameaçados de despejo pela burguesia, ou seja, o enfrentamento real a esta ofensiva. Para isto é crucial a mobilização popular para impedir, inclusive na força se preciso, que a direita sai vitoriosa nestes crimes praticados contra o povo.

É preciso ter claro que é só o povo organizado contra a direita que pode barrar a ofensiva fascista. Recorrer ao judiciário ou legislativo por exemplo, é algo que não surte qualquer efeito sobre a burguesia, mesmo porque aqueles também fazem parte dela. A única coisa que a burguesia entende e teme é a pressão popular que pode liquidá-la.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas