“Lutaremos contra o fascismo no Brasil”: protesto contra o governo golpista em Berlim

fascismo1 (1)

Da redação – A aversão da classe trabalhadora à extrema-direita é tamanha, que até mesmo na Embaixada do Brasil em Berlim surgiram protestos na forma de picho contra os golpistas brasileiros. “Lutaremos contra o fascismo no Brasil”, foi o que a esquerda brasileira que está na Alemanha deixou de mensagem na fachada do local.

A faixada amanheceu pichada com os dizeres: “Lutaremos contra o fascismo no Brasil”

Procurados pela imprensa burguesa, funcionários da Embaixada não confirmaram o ocorrido, que veio à tona pela circulação das fotos no aplicativo WhatsApp.

Todos os que fazem parte desse governo, que é o aprofundamento do golpe nas mãos dos militares, são inimigos das organizações operárias, camponesas, movimentos socais e sindicatos. Bolsonaro mal assumiu e abriu uma taque frontal a todos os direitos conquistados pelos trabalhadores em décadas de luta, ameaçando o povo com a perseguição, com o fim da Justiça do trabalho, da aposentadoria, com a ilegalidade, o que é muito sério e deve ser combatido pela esquerda brasileira com seriedade.

É preciso construir comitês de autodefesa do povo em todos os locais de organização social: sindicatos, escolas, universidades, fábricas, bairros, centros culturais e etc. Onde o povo sinta necessidade deve-se organizar contra o golpe, contra os militares que estão ameaçando o povo e contra os ataques da extrema-direita.

A passividade frente ao fascismo levou a esquerda mundial a derrotas imensas, através de uma leitura errada da situação e do não combate físico da extrema-direita. A construção de um partido operário de massas, de uma organização que realmente tenha responsabilidade junto a luta dos trabalhadores é fundamental, ainda mais frente a invasão de gabinetes de parlamentares do PT, de agressões nas solenidades de diplomação dos eleitos da esquerda e ataques contra o Ministério do Trabalho.

O PCO convoca todos ao 43º curso de formação marxista, Universidade de Férias, que ocorrerá dos dias 12 à 27 de janeiro sobre o tema: “Fascismo: o que é e como combatê-lo“.

Fora Bolsonaro, liberdade para Lula!