Menu da Rede

Gangue de jagunços, centrão aprova grilagem de terras

Mais uma pesquisa comprova

Lula não precisa da direita para se eleger

A aliança que a esquerda precisa fazer é com o povo, que está na rua. Nada de direita.

Operários defendem Lula até mesmo em foto com Bolsonaro – Foto: Ministério de Desenvolvimento Regional

A pesquisa do Instituto Ipec, divulgada ontem (25), apresentou um resultado avassalador para o ex-presidente Lula na corrida presidencial de 2022. Segundo o levantamento, o petista tem 49% das intenções de voto, contra 23% de Bolsonaro. Se as eleições fosse hoje, Lula as venceria ainda no primeiro turno.

Logicamente que é preciso ter uma visão crítica a respeito dessa pesquisa. O Ipec nasceu a partir do Ibope, amplamente conhecido por suas ligações com as Organizações Globo – muitos o chamam de Globope. É um instituto da burguesia. Também é amplamente sabido que as pesquisas de opinião dos institutos burgueses são amplamente manipuladas.

Estando a burguesia contra Lula, de maneira evidente, desde a campanha pelo golpe, é óbvio que o instituto burguês não pretende beneficiar Lula. É bem possível, na verdade, que Lula tenha muito mais do que 49% das intenções de voto, haja vista a clara popularidade do ex-presidente, expressa nas redes sociais, nos atos de rua como em 29 de maio e 19 de junho, nos próprios partidos de esquerda. 

Um exemplo dessa popularidade foi o ocorrido na quinta-feira (24) na barragem de Oiticica (RN), quando da visita de Bolsonaro. Os operários que trabalham na barragem foram obrigados a posar para uma foto junto do presidente fascista (imagine, caro leitor, a pressão sobre esses trabalhadores, para fingirem um apoio a Bolsonaro). Mesmo sabendo do perigo de serem demitidos, uma parte desses operários fez o “L”, gesto simbólico de defesa de Lula, no momento da foto (acima), que rodou as redes sociais.

Por isso mesmo, não se pode negar que a pesquisa Ipec é um reflexo da realidade.

A burguesia está com Lula?

Alguns setores da esquerda, e mesmo os bolsonaristas enraivecidos, poderiam dizer que o fato de um instituto burguês ter divulgado uma pesquisa favorável a Lula, sabendo que as pesquisas burguesas são sempre fraudadas, é uma prova do apoio da burguesia ao ex-metalúrgico.

Ledo engano. A burguesia faz um jogo duplo dando seus últimos suspiros para alavancar uma terceira via como alternativa a Lula e a Bolsonaro, alguém do “centrão”, da direita tradicional.

As manchetes que volta e meia os jornais que promoveram uma caçada contra Lula durante anos agora publicam vão justamente nesse sentido. Apresentam Lula como um perigo para Bolsonaro e a direita como um todo. Dizem, nas entrelinhas: “Bolsonaro não é capaz de vencer Lula, é preciso apostar em outro nome que unifique nossa classe, a burguesia, para derrotar esse sapo barbudo.”

Lula serve, assim, como um espantalho. Isso poderia unificar a burguesia em torno da substituição de Bolsonaro por alguém “mais capacitado” – isto é, que, caso governe, tenha um governo puro-sangue de estreito alinhamento com o capital financeiro. E, por isso, receberia todo o apoio da burguesia. Seria a chamada “terceira via” contra Lula.

Mas, como neste momento não há nenhum candidato minimamente popular, seria uma manobra arriscada. Ciro Gomes (7%), João Doria (5%) e Luiz Henrique Mandetta (3%) aparecem muito longe de Bolsonaro na mesma pesquisa Ipec.

A esquerda não pode ser ingênua, no entanto, sobre a capacidade da burguesia em manipular as eleições. A burguesia é a classe endinheirada, bilionária. Outro estudo divulgado esta semana, do banco suiço Credit Suisse, mostrou que o 1% dos ricos brasileiros detém metade da riqueza nacional. Isto é, 1% dos burgueses podem usar até metade do dinheiro do país para eleger seu candidato – e não hesitarão em gastar todo o dinheiro possível em uma eleição tão decisiva.

Em eleições anteriores à sua vitória em 2002, Lula também esteve muito à frente de seus adversários direitistas. Foi assim em 1989, foi assim em 1994… Mas a burguesia sempre deu um jeito de derrotá-lo.

Uma das formas é com os Cavalos de Troia

Além do dinheiro, a burguesia tem os seus políticos (que, é bem verdade, são movidos à base do dinheiro). A frente ampla serve justamente a esse objetivo. Infiltrar membros da direita em uma frente com a esquerda fingindo apoio a ela. Mas seu trabalho é exatamente sabotar a esquerda, como o fizeram Bisol e Covas em 1989, por exemplo.

Daí o grande erro da esquerda em acreditar que bandidos políticos como Alexandre Frota ou Joice Hasselmann poderiam contribuir com alguma coisa. Ou que o PSDB, MDB e DEM poderiam ajudar Lula a se eleger.

Lula não precisa de nenhum desses criminosos. As próprias pesquisas burguesas o comprovam. Lula, sozinho, sem estar ao lado de ninguém, tem 49% dos votos. Venceria no primeiro turno, isoladamente, sem o apoio de nenhum outro político ou partido.

Ainda segundo a mesma pesquisa, Lula não venceria apenas no Nordeste (onde, por algum motivo, a esquerda pensa que é o único lugar no qual tem grande apoio popular). Lula venceria no Sudeste (47% a 24%) e no Sul (35% a 29%).

Mais uma vez: Lula tem 49% das intenções de voto. Metade do eleitorado é “Lula na cabeça”, como se diz popularmente. Quanto de voto têm aqueles golpistas com as quais parte da esquerda quer se aliar para “derrotar Bolsonaro”? Quinze por cento, somados. Menos do que o próprio Bolsonaro. Isso, novamente, entendendo que trata-se de uma pesquisa feita pela burguesia – que sempre tenta aumentar artificialmente o prestígio da direita.

Os candidatos da terceira via querem se apresentar como candidatos do Fora Bolsonaro, através de um possível processo de impeachment. No entanto, a expressão eleitoral do movimento pelo Fora Bolsonaro não é nenhum direitista, mas sim o ex-presidente Lula. Por isso tentam descaracterizar o movimento, tirando-o das ruas e levando-o para as instituições controladas pela burguesia.

Exatamente por esse motivo é que o movimento pelo Fora Bolsonaro deve permanecer nas ruas, como um movimento popular, operário, estudantil e de esquerda – o que ele realmente é. E, mais do que nunca, um movimento completamente independente em relação à burguesia e à direita.

Quem realmente faz a diferença é o povo. E o povo está na rua. E o povo apoia Lula. A esquerda precisa largar de uma vez por todas qualquer fetiche que tenha com a direita e a burguesia e se voltar diretamente para o povo, para os trabalhadores, para os explorados. São esses os verdadeiros agentes de qualquer mudança verdadeira que possa ocorrer no País.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

SitesPrincipais
24h a serviço dos trabalhadores
O jornal da classe operária
Sites Especiais
Blogues
Movimentos
Acabar com a escravidão de fato, não só em palavras
Cultura

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.