“Lula na prisão”: general deixa escapar uma das principais motivações dos defensores do golpe militar

O general Paulo Chagas, adorador da sangrenta ditadura  militar de 1964,  em sua página no facebook, mostra com todas as letras e discurso, que os militares não são defensores da “paz social”, mas adoradores da prisão, da tortura, e da caça as pessoas ideologicamente de esquerda.

O general, que virou ativista on line, está convocando os “coxinhas”, e direita fascista para manifestações de rua pela prisão de Lula, que em sua página o considera o chefe de uma organização criminosa (PT), que precisa ser exterminada.

Com o acirramento da luta de classes no país devido ao golpe de estado de 2016, que destituiu Dilma Rousseff do governo,  múmias carcomidas pelos horrores provocados pelo golpe militar de 1964, resolveram se levantar das catacumbas e divulgar novamente ideias fascistas.

O general Paulo Chagas, considera que a ditadura militar não completou seu serviço, foi interrompido no meio, e que a única saída par ao Brasil é a volta dos militares no Poder, e que segundo o general fascista, o militares dessa vez tem que ser mais violentos que foram, para que nunca mais haja esquerda no país Um verdadeiro mentecapto!

Acontece que esse general não está falando com as paredes…o pessoal na caserna está se movimentando para que os militares tomem novamente o controle total do país.

Já estão dominando os ministérios golpistas da Defesa e da Segurança Pública, também comandam a Polícia Federal, e segundo o general mentecapto Paulo Chagas é preciso colocar o STF (Supremo Tribunal Federal) no seu “lugar”, ou seja, sob a coordenação dos militares, a começar pela prisão de Lula.

É por isso que os movimentos sociais, a esquerda precisam imediatamente as mobilizações de massa contra o golpe, a prisão de Lula e a intervenção militar no RJ, já que a intervenção está a serviço das aproximações sucessivas que os generais estabeleceram no país, com os objetivos declarados antecipadamente pelo general Paulo Chagas.