“Lula Livre”: PT chama ato nacional na Esplanada dos Ministérios para hoje, 04/04

image

Dezenas de milhares de militantes são esperados nessa quarta-feira, 04/04, nas manifestações que ocorrerão por todo o dia na Esplanada dos Ministérios, em Brasília. Nessa data sera julgado pelo Superior Tribunal Federal (STF) o habeas corpus do ex-presidente Lula.

O ato convocado pelo PT e pela Frente Brasil Popular contará com a participação de partidos de esquerda como o PCO e o PCdoB, de movimentos como a CUT e o MST e ainda de parlamentares dos partidos de esquerda.

São aguardadas centenas de caravanas de todo o país e da região do entorno de Brasília. A concentração ocorrerá a partir das 12 horas no Teatro Nacional, no lado esquerdo da Esplanada dos Ministérios e, em horário a ser definifido, os manifestantes sairão em passeata até o gramado em frente ao Congresso Nacional

Incialmente o objetivo dos organizadores era de que o ato ocupasse a Praça do Três Poderes, justamente em frente ao STF, mas a presença em Brasília de grupos de extrema direita, como o MBL e o Vem Pra Rua, que se juntaram a latifundiários que vêm para Brasília, para se manifestarem pela condenação de Lula, levou a Secretaria de Segurança Pública do DF a adotar um esquema de segurança semelhante ao que ocorreu durante a votação do impechement da presidenta Diltma Rousseff.

Por conta disso, os manifestantes só terão acesso até às imediações do Congresso, com a esquerda e os movimentos sociais ocupando o lado esquerdo da Esplanada e os fascistas e toda sorte de batedor de panelas ocupando o lado direito, com uma barreira de grades e policiais dividindo os dois lados.

É de fundamental importância que a militância de esquerda tenha presente que a presença dos bandos fascistas está vinculada a uma tentativa da burguesia golpista e dos seus meios de comunicação em retomar a ofensiva contra a esquerda, como a que ocorreu no período do impeachment, mas de uma maneira muito mais agressiva.

A expressão maior dessa agressividade pode ser medida pelo assassinato da vereadora Marielle Franco no Rio de Janeiro, os atentados contra a caravana de Lula no sul do país, que culminou com o atentado com tiros em um dos ônibus da caravana e da própria agudização da repressão estatal e para-estatal que cresceu de forma vertigosa, particularmente a partir da ocupação do exército no Estado do Rio e Janeiro.

Portanto, o que a esquerda tem de ter presente é que independentemente do resultado da votação no STF, o embate contra a direita tem que ganhar as ruas. Não se pode ter ilusão que o processo eleitoral, mesmo com participação de Lula será capaz de estancar o acirramento da luta de classes no país.

Hoje será uma prova disso. A extrema direita não vai para a Esplanada com um “espírito democrático”. Muito pelo contrário. Na mesma medida, a militância de esquerda tem de estar preparada para enfrentar as provocações e os ataques desse bando de fascistas até as úlitmas consequências.

Fazemos um chamado para que toda a militância de esquerda, democrática, que compreende o perigo do fascismo ocupem a Esplanada. Vamos dar uma lição nos fascistas. As ruas são do povo e não da direita!