Um governo subserviente
Jair Bolsonaro não mede esforços para reafirmar o seu compromisso com o imperialismo estadunidense. Durante visita de Mike Pompeo, o golpista só faltou lustrar os sapatos do ianque
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
lula-por-ricardo-stuckert
Luiz Inácio Lula da Silva | Ricardo Stuckert

Jair Bolsonaro não mede esforços para reafirmar o seu compromisso com o imperialismo estadunidense. Nesta sexta-feira, 18, durante a visita de Mike Pompeo, secretário de Estado norte-americano, o golpista só faltou lustrar os sapatos do representante ianque. O tapete vermelho foi estendido para que Pompeu ratificasse a política do imperialismo, e o secretário de Estado não perdeu a chance: disse que os EUA continuarão a exercer pressão econômica sobre a Venezuela, mesmo com medidas que dificultem os recursos financeiros de que tanto necessita.

Diante da situação vexatória do governo golpista brasileiro, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva rapidamente criticou o serviçal dos EUA. Em sua conta do Twitter, no sábado, 19, Lula disse que o governo Bolsonaro serviu de palco para Pompeu fazer “declarações belicistas absurdas” contra o Executivo venezuelano.

O povo brasileiro não quer uma guerra norte-americana por petróleo na América do Sul, ainda mais a partir do nosso território. Queremos paz e cooperação com nossos vizinhos. A era do porrete acabou”, complementou Lula.

A rapinagem é descarada e os EUA não escondem suas intenções. O Ex-conselheiro de Segurança Nacional de Trump, John Bolton, chegara a assumir, em entrevista à FOX News, seu compromisso com o roubo do petróleo venezuelano.

Não é para pouco! De acordo com a CIA, em seu World Factbook, uma espécie de almanaque de espionagem do mundo, a Venezuela lidera o ranking de países com maior reserva de petróleo do mundo: são cerca de 300,9 bilhões de barris, uma verdadeira mina de ouro na forma de óleo bruto. Fica claro que a política norte-americana nada tem a ver com luta pela “democracia” ou defesa de regimes democráticos; toda essa movimentação dos EUA se dá no sentido de roubar o petróleo do povo venezuelano, onde há as maiores reservas do mundo.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas