Lula chega a 40% e pode vencer no primeiro turno, especuladores tentam chantagear com o dólar

Lula-1

As últimas pesquisas eleitorais divulgadas pelos próprios institutos burgueses, como o IBOPE e o Datafolha, apontam que o ex-presidente Lula, preso em Curitiba arbitrariamente, chegou a casa dos 40% de intenções de voto no pais. Ou seja, os próprios golpistas não tem mais como esconder o gigantesco apoio popular que Lula detém, uma expressão real e concreta do total repudio da população pobre e trabalhadora ao golpe de estado e a todos os golpistas. Tanto e assim, que os candidatos ligados diretamente ao golpe, como o banqueiro Henrique Meirelles do MDB e Geraldo Alckimin do PSDB, o verdadeiro candidato do governo e do centrão golpista (por enquanto), estão estagnados nas pesquisas e não conseguem passar dos 5%.

Em uma eleição com a participação de Lula, ou seja em um cenário minimamente legal, onde os direitos democráticos sejam devidamente respeitados, Lula poderia já ganhar no primeiro turno com a metade dos votos validos. Tal fato e uma demonstração clara que, para maioria do povo, já ficou claro que estamos diante de um golpe levado a cabo por uma escoria direitista, a qual quer retirar todos os direitos da população, uma clara evolução a esquerda do povo. Desesperada com tal situação, a burguesia já começa a agir de todas as formas para impedir que Lula vença as eleições. A primeira delas e por meio dos tribunais. Passando por cima das leis, os golpistas procuram apressar o julgamento da candidatura de Lula, já são mais de dez pedidos de cassação. Para os golpistas, quanto mais demorar a impugnação do ex-presidente, mais ira crescer o apoio a Lula.

A outra forma e por meio da chantagem dos capitalistas internacionais. No começo dessa semana houve uma subida crescente do dólar, atingindo o valor de R$4 reais. Trata-se de uma clara chantagem do mercado financeiro diante da possibilidade eminente de vitoria de Lula nas eleições. Os capitalistas ameaçam retirar investimento do pais caso o ex-presidente seja eleito novamente. E preciso ter claro que essa manobra não passa de uma expressão do medo e do desespero dos capitalistas diante da vitoria de Lula, a qual representaria na pratica a derrota do golpe de estado e de todos os ataques promovidos pela direita contra as condições de vida da população, ou seja, seria um passo decisivo rumo a conquista de um governo próprio dos trabalhadores.

Nesse sentido, e preciso não se confundir e apoiar a candidatura de Lula de maneira incondicional. Lula, devido ao seu vinculo direto com os sindicatos, a classe trabalhadora e os movimentos populares, e o único capaz de impor uma derrota aos golpistas. E preciso não vacilar e ter claro que quem esta tremendo de medo nesse momento e a direita, os golpistas, a própria burguesia, nesse sentido, o caminho e aprofundar a mobilização. O dia 15 foi muito importante nesse sentido, e necessário seguir por esse caminho, intensificar a campanha em defesa de Lula nos bairros, nas fabricas, nas escolas e comunidades. Convocar uma gigantesca mobilização no dia do julgamento da candidatura do ex-presidente, dez vezes maior que a do dia 15 e garantir, por meio da forca popular, a candidatura de Lula e sua consequente eleição.