Logo depois de assinado o acordo coletivo dos bancários, Bradesco já demite uma leva de trabalhadores

bradesco

Os banqueiros golpistas do Bradesco, mal terminada a campanha salarial da categoria bancária, já demitiram quatro trabalhadores em Londrina e preparam uma nova leva de demissões no próximo período.

Conforme este Diário vem denunciando, os banqueiros são mestre em arquitetar golpes em toda a parte do mundo, no Brasil foram um dos grandes financiadores do golpe que derrubou um governo legitimamente eleito com mais de 54,5 milhões de votos e estão na linha de frente para impedir a candidatura da maior expressão popular, Luiz Inácio Lula da Silva.

Mal terminada a campanha salarial dos bancários os banqueiros já começam a disferir um novo golpe na ofensiva contra os trabalhadores com a política de demissões em massa.

Em Londrina PR na agência Praça Willie Davids, do Bradesco, nos últimos dias já foram demitidos quatro funcionários. Segundo declaração do diretor do Sindicato dos Bancários, Valdecir Cenali, “foram demitidos quatro funcionários na base da entidade e a rotatividade está correndo solta”, e completa, “a situação nas agências ainda é precária e vai ficar pior ainda agora com essa nova onda de demissões. Tem gerente sendo obrigado a assumir o caixa para dar conta da demanda e depois não consegue atingir suas metas, gerando uma situação de intranquilidade”. (site Contraf/Cut 5/9/18)

No Bradesco, depois da aquisição do HSBC, onde Curitiba (PR) era localizada a sede do banco, o Bradesco partiu para a ofensiva contra os trabalhadores naquele Estado através de demissões em massa; já são milhares de demissões só no Estado do Paraná, e o fechamento de diversas agências ou a transformação de agências em postos de atendimento em que as operações são feitas apenas por terminais eletrônicos.

Os bancários do Bradesco e demais bancos não devem aceitar a ofensiva dos banqueiros contra a categoria através das demissões e a perdas de direitos e conquistas dos trabalhadores que só vem se aprofundando no processo golpista em curso no País. É preciso organizar uma verdadeira mobilização de toda a categoria junto com todos os trabalhadores, colocando nas ruas uma intensa mobilização contra o golpe e todas a suas medidas. Além disso se opor a operação armada pelos golpistas que querem realizar eleições fraudulentas, sem a participação do candidato preferido pela maioria do povo trabalhador e fazer das eleições uma fraude total.