Localfrio S.A. condenada
A Segunda Turma do Tribunal Superior do Trabalho (TST) condenou a empresa Localfrio S.A. ao pagamento de indenização por dano moral coletivo contra motoristas de carreta.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Webp.net-resizeimage
TST em Brasília | Foto: CUT - DF

A Segunda Turma do Tribunal Superior do Trabalho (TST)  julgou, na última segunda-feira (19/10),  o processo Nº 0000486-37.2018.5.06.0171 e condenou a empresa  Localfrio S.A. – Armazéns Gerais Frigoríficos, de Ipojuca-PE, ao pagamento de indenização por dano moral coletivo contra motoristas de carreta. Os motoristas eram obrigados a atuar em jornadas muito superiores às permitidas legalmente. 

A Segunda Turma do TST considerou que a ilicitude da conduta da empresa ultrapassa a esfera individual e atinge uma coletividade de trabalhadores.

A denúncia que iniciou o processo foi apresentada pelo Ministério Público do Trabalho (MPT), que apurou a existência de diversas irregularidades cometidas pela empresa, entre elas não pagamento de horas extras, proibição de registrar o ponto corretamente, exigência de horas de  trabalho além do limite legal e descumprimento o intervalo intrajornada. A ajuda de custo oferecida pela empresa também cobria apenas alimentação, os motoristas precisavam arcar com as despesas de hospedagem durante as viagens

O MPT levou o processo  a 2ª Vara do Trabalho de Ipojuca (PE), que considerou que houve dano social e desrespeito aos princípios da coletividade. Considerando o número de trabalhadores atingidos (mais de 100, segundo o processo), os juízes fixaram a condenação da empresa em R$ 100 mil.

Em instância superior, no caso o  Tribunal Regional do Trabalho da 6ª Região (PE), foi considerado que, embora provadas as irregularidades, não havia elementos que comprovem sentimento coletivo de indignação e excluiu a indenização da condenação.

Os ministros do  MPT então recorreram ao TST, que ratificou o entendimento da 1ª instância, de existência de dano coletivo em virtude de desrespeito à legislação trabalhista, e condenou a empresa ao pagamento de indenização coletiva aos motoristas.

Trata-se de mais um episódio criminoso de desrespeito ao trabalhadores por parte de empregadores inescrupulosos, nada incomum pela cartilha de práticas desumanas dos capital. Essa condenação chega ser surpreendente, afinal com o desmonte das instituições do Estado brasileiro, entre elas a Justiça do Trabalho, promovido pelos golpistas o trabalhador se vê a cada dia sem mais direitos e sem acesso ao amparo institucional que lhe é garantido por lei.

As condições que a Localfrio S.A. – Armazéns Gerais Frigoríficos impunha a seus trabalhadores nada mais eram que escravidão moderna. É assim que as empresas elevam seus lucros, às custas das vidas dos trabalhadores.

A única forma do trabalhador se opor a ganância dos empresários e abutres do capitalismo é se organizando coletivamente, os trabalhadores devem unir-se e tomar as ruas e derrotar o regime fascista que tomou conta deste país. Não devemos aceitar nenhum direito a menos e lutar pela ampliação da proteção ao trabalhador e ao emprego! Chega de servir aos patrões do capitalismo financeiro, o Estado deve-se voltar para políticas de estímulo a criação de novos postos de trabalho e consolidação da proteção e assistência aos trabalhadores.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas