Liverpool fica sem seu principal jogador; Real Madrid se aproveita e conquista, mais uma vez, o título europeu de clubes

RM campeão

O time espanhol do Real Madrid sagrou-se tri-campeão europeu de futebol. A equipe da capital espanhola derrotou os ingleses do Liverpool pelo placar e 3 x 1 em partida realizada na cidade de Kiev, capital da Ucrânia.

O confronto vinha sendo aguardado com grande expectativa, pois esperava-se que o adversário dos espanhóis, o Liverpool – a grande sensação do torneio – fosse capaz de interromper a sequência de títulos conquistados pelos madrilenhos nos últimos cinco anos.

Todos os olhos estavam voltados para o atacante egípcio do time inglês, Salah, melhor jogador do torneio, eleito também o craque estrangeiro da Primeira Liga inglesa, recém encerrada com o título conquistado pelo Manchester City.

Quem esperava ver o atacante Salah fazer a diferença, frustrou-se aos 25 minutos da etapa inicial, quando numa disputa de bola com o defensor do Real Madrid, Sérgio Ramos, na intermediária do ataque do Liverpool, o craque egípcio lesionou-se gravemente, na região da clavícula, tendo que deixar o campo, sendo substituído por Lallanna. Enquanto esteve em campo, o egípcio levou grande perigo à meta do goleiro Navas, pelo menos em duas oportunidades onde por pouco o time inglês não abriu o placar.

Com a precoce saída de Salah, os ingleses do Liverpool perderam em poderio ofensivo, principalmente nas saídas de bola em direção ao ataque, ponto forte das jogadas de contra- ataque conduzidas pelo egípcio. O time inglês vinha dominando a partida até a saída de Salah. Depois, as coisas se inverteram e a partir de então, o Real passou a propor o jogo, indo para cima do adversário. Mas o gol não saiu e o primeiro tempo terminou empatado, sem abertura de placar.

Na segunda etapa, ficou patente o “baque” sofrido pelo time inglês com a perda do seu principal jogador. Logo nos minutos inicias o goleiro do Liverpool tentou fazer uma reposição de bola com a mão e foi interceptado por Benzema, indo a bola em direção ao gol, morrendo nas redes. Gol de abertura do placar, com o Real Madrid fazendo 1 x 0. Não tardou muito para os ingleses empatarem, depois de um escanteio, onde a bola foi cabeceada e encontrou o atacante senegalês Mané, que só teve o trabalho de deslocar a bola de Navas, tocando-a de leve para as redes.

Mas os madrilenhos estavam mais confiantes na segunda etapa e se impuseram diante do adversário, nitidamente abalado pela perda do seu maior craque, de quem se esperava muito. O Real se aproveitou desta insegurança e foi controlando a partida. Aos dezoito minutos, o time espanhol chegou ao gol de desempate, num belíssimo gol, antológico, do galês Gareth Bale, numa bonita bicicleta acrobática, depois de um cruzamento do lateral brasileiro Marcelo, surpreendendo o goleiro Karius, que nada pôde fazer. O Liverpool tentou reagir, mas sem a força necessária para furar o forte bloqueio espanhol. O prego no “caixão” dos ingleses foi novamente do galês, que bateu forte, de muito longe. Novamente o goleiro dos vermelhos ingleses foi infeliz, deixando a bola escapar-lhe pelas mãos, numa bola que era perfeitamente defensável. Não havia tempo para mais nada e o apito final do juiz marcou a décima terceira conquista do título europeu pelos espanhóis do Real Madrid, o maior campeão de clubes da Europa.