Liderança seringueira é assassinada por latifundiários bolsonaristas no Acre

Casa de Dilma Ferreira, com presença da Polícia Civil e de membros do MAB

Da redação – A Comissão Pastoral da Terra no Acre (CPT-AC) e posseiros no município de Acrelândia, Estado do Acre, informam que pelo menos uma liderança do Seringal São Domingos, município de Lábrea, no Amazonas, região de Ponta do Abunã.

As informações são desencontradas, mas há relatos que mais três pessoas foram assassinadas e há desaparecidos no mesmo seringal. Fato que se confirmado pode ser o segundo massacre de sem-terra realizado por latifundiários bolsonaristas em 2019. Centenas de pessoas, inclusive crianças e idosos, tiveram que fugir para a floresta para se esconder dos bolsonaristas.

A única confirmação de morte é da liderança do seringal Nemis Machado de Oliveira, cujo corpo foi levado no local do assassinato pela própria família. As denúncias são que pistoleiros invadiram o Seringal São Domingos, atirando em pessoas e colocando fogo em casas e, também, em algumas pessoas que viviam no local.

As terras do Seringal São Domingos são terras da União e são disputadas pelas famílias com madeireiros, latifundiários e grileiros de terra da região que cometem constantes abusos e violência contra os sem-terra e indígenas.

É preciso denunciar o agravamento da violência no campo e o direito à autodefesa com a imediata formação de Comitês de autodefesa das famílias sem-terra.