Ceará: liderança indígena sofre emboscada e é baleada na nuca

madalena pitaguary

A comunidade indígena Pitaguary, na região metropolitana de Fortaleza, sofreu mais um ataque contra a demarcação de suas terras. Nesta quarta-feira, a Cacique Madalena Pitaguary, importante liderança indígena na luta pela demarcação da Terra Indígena Pitaguary, em Maracanaú, sofreu uma emboscada e foi baleada na nuca quando voltava para casa com outros três indígenas.

Os indígenas Pitaguary sofrem para a demarcação de suas terras e já foram vítimas de diversos ataques violentos. Em agosto do ano passado, outra liderança Pitaguary, Maurício Alves Feitosa, foi espancado e teve o corpo incendiado com gasolina dentro de casa durante a  madrugada.

A terra indígena sofre com a violência de mineradoras que atuam dentro da área e que atua de todas as maneiras para impedir a demarcação de sua área total. Essas ações resultaram, no inicio de julho deste ano, na redução da área demarcada realizada pela Funai a pedido da Justiça Federal do Ceará.

A redução de uma enorme parcela da Terra Indígena Pitaguary vem para satisfazer os interesses da especulação imobiliária e das mineradoras que mandam no judiciário golpista e que atua com extrema violência contra os indígenas.

O que vem com os Pitaguary é resultado direto da tomada do poder pelos golpistas que retiram direitos das comunidades indígenas com apoio de pistoleiros e das arbitrariedades do judiciário.

Os indígenas não devem aceitar a redução da demarcação e a retirada de seus direitos duramente conquistados. Devem impedir qualquer invasão de sua terra pelas mineradoras da maneira que for necessária e criar comitês de autodefesa para impedir novos ataques contra lideranças.