Liderança indígena do Ceará sofre ameaça de morte

terra-indigena

Mais um militante da causa indígena é ameaçado de morte. Desta vez foi a liderança comunitária da comunidade indígena Anacé, Paulo Rubens Barbosa França que fez a denúncia na manhã dessa quarta-feira (10/4), na sede da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-CE) em Fortaleza, durante a audiência pública do Conselho Nacional de Direitos Humanos.

Morador do Planalto Cauípe há mais de 10 anos, Paulo Rubens desenvolve um trabalho de ativismo social e ambiental na área do Lagamar, na região dos Matões, distrito de Caucaia (CE), lutando pelo direito a água, a demarcação de terras e os direitos básicos da população do local.

Acostumado às ameaças anônimas, via telefone, a última intimidação ocorreu na porta de sua casa, quando foi abordado por dois indivíduos encapuzados, que o  ameaçaram com uma arma na cabeça, dizendo que ele mexeu  “com gente grande e deveria sumir”, relata Paulo.

Segundo o site Jangada Online, as motivações das ameaças ainda não estão claras, pois Paulo luta “ pela demarcação indígena, pelo direito a água do Lagamar do Cauípe, contra o descaso das empresas de transporte público, pelas empresas que querem poluir a região do Complexo Industrial do Pecém”. A área em conflito é de grande interesse da especulação imobiliária.

Paulo não se intimida com as ameaças, comum a muitas lideranças, mas ao contrário dos que se calam nessas situações, ele vai continuar lutando com os meios possíveis e com segurança. O ativista declarou que, “ a covardia daqueles que não aceitam que os mais humildes tenham seus direitos respeitados é colocada em choque quando lideranças decidem lutar contra os grandes pelos direitos de todos, principalmente os povos originários, e as classes mais esquecidas. Portanto lutarei sempre pelo que é certo e justo, principalmente para aqueles que são os verdadeiros donos da terra, e a preservação da natureza”.