Fascismo
Mais um ataque fascista engendrado pelo governo do ditador Ivan Duque contra o povo colombiano
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
feliciano-valencia_article_column@2x
Liderança indígena Feliciano Valencia, é alvo da ditadura colombiana | Foto: Reprodução

Em seu Twitter, Feliciano Valencia, representante da Organização Nacional Indígena da Colômbia (Onic) no parlamento local, denunciou que havia sofrido um atentado contra a sua vida na manhã desta quinta-feira (29). Por mais que não tenha sofrido nenhum dano à sua integridade física, o ataque feito à Valencia representa a continuidade da perseguição que o estado fascista de Iván Duque tem feito contra as populações indígenas e do campo.

Valencia já foi acusado pelo Estado colombiano por aplicar a justiça indígena contra soldados do exército do país, cumprindo prisão sob essa acusação, demonstrando que já é tido como um inimigo do governo golpista e, por conseguinte, alvo deste tipo de ação fascista.

O modus operandi do governo já é conhecido, afinal de contas, desde a assinatura de acordo de paz entre o estado e a FARC (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia), mais de 200 indígenas foram assassinados. Finalmente, quem realiza esse tipo de atentado é, nada mais nada menos, que grandes latifundiários e paramilitares ligados diretamente à Ivan, demonstrando uma verdadeira ofensiva contra o povo que visa unicamente a manutenção da ordem política vigente.

É importante lembrarmos a trajetória que a Colômbia teve desde o começo deste ano. As lideranças indígenas e a população do campo, além de sofrerem pelo coronavírus, consequência direta da negligência do estado, foram alvo de verdadeiras operações fascistas conduzidas pela extrema-direita colombiana. Não podemos esquecer os diversos massacres que ocorreram somente em 2020, com dezenas de mortos em um cenário verdadeiramente sanguinolento.

Desde o golpe, orquestrado pelo próprio imperialismo, a Colômbia se tornou um estado genuinamente fascista e policialesco. A quantidade de mortes conduzidas pela extrema-direita tem aumentado cada vez mais e, além disso, partidos e organizações operárias têm tido seus direitos completamente esmagados.

É isso que a administração de Ivan Duque significa: uma verdadeira ofensiva contra a classe operária de conjunto. Deve ficar claro que o governo colombiano não passa de um fantoche da política de dominação imperialista, diretamente responsável por centenas de milhares de mortes ao redor de todo o mundo.

Finalmente, é preciso denunciar categoricamente o que vem acontecendo na Colômbia. Acima de tudo, a população precisa se mobilizar e por um fim ao governo fascista de Duque, acabar com o processo golpista que se aprofunda cada vez mais e, acima de tudo, tomar o poder para a própria classe operária. No final, somente os trabalhadores conseguem gerir o Estado de forma a garantir que as reivindicações do povo sejam atendidas.

A política de que a reversão do golpe se dá por meio das urnas é completamente falaciosa e nociva aos trabalhadores e, nesse sentido, é dever das direções do movimento operário colocaram o direcionamento de ir às ruas e, de uma vez por todas, expulsar o imperialismo da Colômbia.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas