Líder indígena morre a facadas no Pará: é preciso reagir!

wajãpi

O corpo do cacique Emira Wajãpi da aldeia Mariry, da etnia Wajãpi, no Amapá foi encontrado em um rio após ter sido atacado por garimpeiros que invadiram a terra indígena localizada no oeste do estado do Amapá. O corpo foi encontrado no leito de um rio e segundo lideranças da aldeia o ataque teria acontecido quando o cacique voltava de uma visita à casa da filha.

O grupo que assassinou o cacique é composto por cerca de cinquenta garimpeiros que invadiram a aldeia no último dia 26 e que de acordo com a Secretaria Estadual dos Povos Indígenas estão armados e que a tensão é grande a cada novo dia. O risco de um conflito tem crescido constantemente.

As lideranças indígenas locais tem pedido apoio da polícia militar e das autoridades “competentes”, porém até a manhã de hoje nenhuma manifestação institucional aconteceu. É uma política comum da direita deixar os povos indígenas sem qualquer apoio quando atacados por fazendeiros e garimpeiros que tem interesse de exploração na ocupação de terras.

Para evitar que novas mortes como essa aconteçam é preciso que se deixe de lado a esperança ilusória depositada nas instituições burguesas dominadas pela extrema direita. O caminho a seguir é de reação e do embate, colocando os garimpeiros para correr, de forma que estes nunca mais tenham coragem de por os pés nas terras do povo Wajãpi.