Líder das FARC pode ser preso pelos EUA

Governo norte-americano vai matar

O ex-líder e negociador da paz entre as antigas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) foi preso a pedido do governo norte-americano.

Jesús Santrich, que fez parte integrante do encontro em Havana para o fim do conflito de mais de cinco décadas entre as FARC e o governo, pode ser extraditado. Isso bem quando assumiria, de acordo com o pacto de paz, o cargo de deputado observador no Congresso colombiano.

O presidente, capacho do imperialismo, Juan Manoel Santos, garantiu que aprovará a extradição de Santrich. Nota: ele será julgado e condenado por crimes na jurisdição americana. É o regime ditatorial entregando Santrich aos maiores destruidores da paz, democracia ou qualquer direito no mundo.

As FARC se desarmaram para tentar entrar no regime político colombiano. Os militantes das FARC foram baleados logo depois de abandonarem as armas, e agora não conseguem também se integrar ao regime (que é ditatorial).

As FARC, que se tornaram um partido político, tentaram se integrar no parlamento; mas como se integrar a um governo ditatorial capacho do imperialismo?

Santrich fez o acordo para entregar as armas: entregou e agora não tem defesa. Não consegue reagir às pressões do imperialismo, do governo instaurado em seu país e de toda uma investida contra os direitos democráticos. Sobre o armamento leia

Juan Manoel Santos fará tudo o que o imperialismo norte-americano mandar. Não adianta fazer acordos com o imperialismo: assim que lhe considerarem um entrave ou não estando totalmente alinhado com suas políticas, eles mandam prender.

É preciso entender isso: Santrich provavelmente será preso sem provas, colocado em um buraco em uma prisão com condições ruins até para uma ratazana. O governo americano fez ( e faz) isso constantemente. Um livro interessante sobre isso é o livro de Fernando Morais, “Os últimos soldados da Guerra Fria”, onde descreve as condições horríveis onde cinco presos políticos cubanos foram mantidos nos Estados Unidos, enquanto o espião da CIA em Cuba, disse que foi extremamente bem tratado.

Tratado com os Estados Unidos é confiar no demônio. Acreditar que você está salvo através das regras que eles impõem é ingenuidade demais até para uma criança de cinco anos.