Licença para matar: exército israelense está autorizado para matar crianças

israel-eua-sangue1

Israel é a base mais importante do imperialismo no Oriente Médio, e desde a sua criação tem mostrado o lado mais desumano, mais sádico e mais carniceiro do capitalismo. A constante execução do povo palestino não pode nem levar o nome de guerra, pois de um lado temos os melhores equipamentos bélicos do milênio, e do outro temos na maioria das vezes gravetos e pedras.

O massacre é feito com grande magnitude e frequência, em outras palavras, é um Armagedom todo dia para o povo local, e o que não falta são testemunhas e  evidências dos feitos. Na era da comunicação temos vídeos, fotos e transmissões ao vivo do inferno que é viver com um exército 24/7 na porta da sua casa com o fuzil apontado na sua cara, seja você criança ou idoso.

O que deixa muitos perplexos é a frieza e a crueldade com a qual os soldados israelitas executam suas funções. O ultimo vídeo que circula na internet divulgado pelo B’Tselem (ONG preocupada em divulgar violações dos direitos humanos na região) mostra dois soldados comemorando por terem atingindo uma criança palestina, que junto à trinta moradores tentava tirar um bloqueio feito por Israel na entrada leste na cidade de Madama.

O vídeo foi postado dia 24 de abril, mas ocorre na sexta-feira 13 do mesmo mês, às duas da tarde. Em seguida os soldados atingem outra criança, que estava no local e que segurava uma pedrinha para tentar se defender dos soldados armados até os dentes.

Por ser tão comum esse tipo de acontecimento, a experiência mostra que nada acontecerá aos soldados, nem ao Estado que promove esse tipo de chacina. Mais bombardeios serão feitos a creches e escolas, mais civis serão mortos, mais território será roubado por Israel até que a esquerda internacional levante uma campanha eficiente e massiva contra esses genocidas. Fora imperialismo do Oriente Médio!