lula-presidente-1900x900_c

A direita golpista está em crise e é preciso aproveitar a oportunidade. O governo sofre com as contradições internas do bolsonarismo e de seus aliados, com a falta de articulação no Congresso, e agora, principalmente, com a contestação do governo nas ruas. No dia 15, pelo menos 1 milhão de pessoas lotaram as ruas no Brasil inteiro contra o governo. O estopim foram os cortes no orçamento das faculdades federais, mas os protestos pediam em uníssono a saída do governo: fora Bolsonaro!

É hora de derrotar o governo e derrubar Bolsonaro. Não adianta combater políticas parciais desse governo. O projeto neoliberal da direita golpista e extremamente destrutivo e abrangente. Eventuais derrotas parciais do governo ficariam muito longe de resolver o problema dos trabalhadores e da população em geral.

Por isso é preciso juntar-se às massas nessa exigência de saída do governo. E é preciso estimular essa exigência, e fazer campanha em torno dessa palavra de ordem. O governo precisa ser derrubado para interromper esses ataques contra os trabalhadores. No entanto, não basta derrubar Bolsonaro. Neste momento, é preciso apresentar uma alternativa para o país. Acrescentar novas exigências ao Fora Bolsonaro!

A direita já discute abertamente a substituição de Bolsonaro pelo general Hamilton Mourão, vice-presidente que conspira contra o governo desde o começo. Há setores de esquerda que chegam a apoiar essa alternativa, enquanto outros usam essa possibilidade para rejeitar o Fora Bolsonaro. Porém, não exigir Fora Bolsonaro agora equivale a apoiar que Bolsonaro fique, é uma política sem sentido e perigosa, pois Bolsonaro é um perigo para a população caso consiga se consolidar. Portanto, exigir a saída de Bolsonaro é necessário, e precisa incluir uma alternativa para o país. Essa alternativa são as eleições: eleições gerais já!

Diante disso, a liberdade de Lula é uma exigência da própria situação política do país. Não faz sentido uma nova eleição presidencial em que Lula não participe. Por isso é necessário exigir a liberdade de Lula e que ele possa ser candidato dessa vez, para que o povo possa decidir soberanamente por meio do voto quem será o próximo presidente, diferentemente do que ocorreu em 2018, quando a vontade popular foi fraudada. Liberdade para Lula!