Crise no Equador
O estado de exceção no país, inclui toque de recolher, lei seca e outras medidas restritivas
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Lenin Moreno
Lenin Moreno, presidente do Equador | Foto: Reprodução
Lenin Moreno
Lenin Moreno, presidente do Equador | Foto: Reprodução

O governo do Equador, comandado por Lenín Moreno, anunciou nesta segunda-feira (21) um estado de exceção em todo o país, que inclui toque de recolher, lei seca e outras medidas restritivas. De acordo com o presidente, o objetivo é evitar um quadro de crise sanitária.

A medida foi tomada faltando apenas 48 dias para o primeiro turno da eleição presidencial no país. Onde pesquisas recentes mostraram uma possível vitória do economista Andrés Arauz no primeiro turno do grupo coalizão União Pela Esperança, frente política liderada pelo ex-presidente Rafael Correa.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas