Lembre-se! Alguns exemplos práticos da força da mobilização dos servidores: vereadores golpistas recuaram diante da reação nas ruas

abcde

No último mês de março, os servidores públicos municipais de São Paulo, deram uma grande demonstração do que pode a força de uma mobilização política dos trabalhadores.

Na ocasião, a grande maioria dos vereadores golpistas da direita na Câmara municipal votou contra, se absteve ou mesmo fugiu da votação do PL 621/2016, ou, como é mais conhecido Sampaprev.

Um projeto que impõe um brutal arrocho salarial aos servidores, aumentando de 11% para 14% o desconto em folha dos servidores; e podendo chegar nos próximos anos à 20%, além do que institui medidas que levarão à privatização e falência do sistema de previdência pública solidaria dos servidores.

Com mobilizações centrais que reuniram em mais de uma ocasião 100 mil servidores no centro de São Paulo e com manifestações regionais ”in loco”, ou seja, com os servidores indo pessoalmente e em grupos cobrar os vereadores, ao mesmo tempo em que denunciavam o crime que estes estavam a cometer contra milhares de servidores paulistanos.

Esta política dos servidores e sua mobilização foi a responsável por derrotar os golpistas na ocasião.

Vejamos abaixo dois exemplos claros em que a direita teve de recuar.

O primeiro com o vereador Ota:

O segundo com a vereadora Edir Sales:

Os exemplos mostrados, são uma demonstração de que a unica e verdadeira arma que poderá derrotar a ofensiva dos golpistas contra os servidores é a mobilização e a ocupação da Câmara dos vereadores de SP nesta quarta-feira dia 26 de dezembro, quando haverá um novo ato.