Direita tira tudo do povo
Estas medidas servem ao mesmo tempo culpar o povo pela pandemia e para fazer com que os trabalhadores paguem pela crise capitalista com multas e aumento da repressão
marcelo
Marcelo Belinati (PP) apresentando decreto com proibições e punições para reprimir a população | Foto: reprodução
marcelo
Marcelo Belinati (PP) apresentando decreto com proibições e punições para reprimir a população | Foto: reprodução

No ultimo final de semana entrou em vigor a mando do prefeito direitista da cidade de Londrina, Marcelo Belinati (PP), um decreto que prevê diversas proibições e punições à população da cidade, sendo a que mais chama atenção o estabelecimento de um estado de lei seca, para supostamente controlar a propagação do novo coronavírus.

O que não passa de uma farsa visto que reprimir o povo não soluciona os problemas da pandemia, que deve ser combatida dando mais garantias à população com testagem em massa, distribuição de máscara, ampliação do transporte público, construção de hospitais, etc, e nada disso será feito pela direita inimiga do povo.

Muito pelo contrário, ao invés  de tomar para auxiliar os trabalhadores no momento crítico em que estamos, o prefeito de Londrina decidiu intensificar não o combate ao vírus, mas sim o combate ao povo com uma série de medidas ditatoriais.  O decreto municipal prevê dentre outras coisas a proibição de beber na rua, em estabelecimentos ou nas imediações dos estabelecimentos, com multa de R$500 (quase o valor de um auxílio emergencial) por 14 dias.

O mesmo decreto determina ainda o fechamento de espaços públicos como praças, parques e lagos e estabelece para as pessoas que estiverem sem máscara, não o fornecimento do equipamento de proteção, mas uma multa imediata sem qualquer advertência ou algo do tipo. O que só deixa evidente o caráter fascista destas medidas que não visam proteger a população mas tirar o pouco que a classe trabalhadora tem com multas absurdas.

A questão da lei seca deve ser observada na medida em que concretamente não implica em nada para o combate à contaminação da população pelo coronavírus. A justificativa do prefeito para proibir a o consumo de bebida alcóolica é absurdamente especulativa e só é dada uma justificativa para tentar disfarçar o caráter repressivo e absurdo da medida:

“Começamos a observar que diversos estabelecimentos, que têm como atividade principal algo diferente de bar, começaram a anunciar eventos nas redes sociais, como happy hour, chopp em dobro, feijoada com sambão e por aí vai. Além disso, mais da metade das pessoas que se infectaram em Londrina são jovens. A partir disso, nossos especialistas identificaram que os principais focos de contaminação são os bares, por isso é necessário esse decreto da Lei Seca”

O prefeito, para justificar a lei seca simplesmente relacionou propagandas de bares com contaminação nos jovens para relacionar o crescimento da contaminação. Contaminação esta que tem aumentado tão somente porque os trabalhadores, dentre estes jovens, estão sendo obrigados a retornar ao trabalho com a reabertura comercial total e com isto precisam utilizam transportes públicos lotados todos os dias para ir e voltar do trabalho; não receber equipamentos de proteção dos patrões nem do poder público; nenhuma medida para evitar contaminação no trabalho é tomada; os trabalhadores sequer são testados para retornar ao trabalho, e por aí vai.

É isto que faz com que os trabalhadores e a população trabalhadora e pobre seja exposta ao vírus e os índices de contaminação subam: a ação dos capitalistas que determinaram o fim da pandemia para esta parcela da população.

É a mesma mentalidade que a burguesia tenta impor quando a população pobre vai às praias nos finas de semana: que seria o povo o grande culpado pela contaminação do vírus. Quando na verdade esta campanha serve para falsificar que o real motivo do aumento da contaminação e mortes da população é a total falta de combate ao vírus, a falta de testagem, de hospitais, etc.

Com isto a burguesia consegue culpar os trabalhadores e fazer com que o próprio povo que já sofre com a pandemia seja obrigado a pagar mais ainda pela crise com multas e aumento da repressão, ao mesmo tempo em que ataca as práticas culturais e de lazer dos trabalhadores como praia aos domingos, sambão, churrasco, cerveja, feijoada, pelada de futebol, etc.

Esta é a política mentirosa da direita que sempre vai encontrar justificativas para reprimir e castigar a classe trabalhadora, seja com lei seca, multa por não usar máscara, proibição de uso dos espaços públicos, dentre outras providencias que servem tão somente para empurrar a crise para os trabalhadores que não têm culpa pelo desastre da pandemia no país, que tem como responsáveis os capitalistas.

Relacionadas
Send this to a friend