Latifundiário e Jagunços invadem aldeia e ameaçam de morte mulher e crianças indígenas

indígenas jaminawa

Da redação – Com a subida de Bolsonaro ao poder por meio da fraude eleitoral que retirou o ex-presidente Lula do páreo e o prendeu através de um processo farsa, os ataques aos setores mais fracos da população têm se intensificado cada vez mais. Dessa vez, as vítimas foram os indígenas, população que sofre intenso massacre e perseguição desde o próprio descobrimento do Brasil.

No dia 17 de fevereiro, oito jagunços e um fazendeiro armados com pistola, revólver e facões invadiram a Terra Indígena Caiapucá, que fica na divisa entre os estados do Acre e Amazonas, e ameaçaram de morte lideranças Jaminawa da aldeia Samaúma. As ameaças ao cacique José Correia Jaminawa e Laci Martim Cantu Jaminawa foram entregues a uma mulher e quatro crianças que vivem na região.

A intenção dos invasores, segundo denuncia a mulher Jaminawa, era de realizar a execução dos homens já no momento dessa primeira invasão, mas como encontraram apenas mulheres e crianças no local, desistiram do ato. Irritados, disseram que iriam voltar caso os indígenas não abandonassem a terra, que o fazendeiro afirmava ser de sua propriedade. Sua fala foi, segundo a indígena: “Tá na hora de vocês caírem fora daqui. Agora que o Bolsonaro assumiu, não vai mais ter terra pra índio, não vai mais pertencer a vocês.”

A aldeia foi toda loteada para os indígenas em 2015 pelo Programa de Regularização Fundiária Terra Legal, mas sofreu atentados em 2016 e 2017, com incêndios criminosos a suas casas, escola, rádio amador e ao posto de saúde. Os indígenas tentaram denunciar os casos para a Funai, mas nada foi feito, como era de se esperar das instituições dominadas pelo regime golpista.

Com a ascensão da extrema-direita e a posse de Jair Bolsonaro, agressões covardes como essas se tornarão cada vez mais comuns, é preciso que a população se organize em comitês de auto-defesa para reagir à direita e para proteger as camadas mais vulneráveis da população. Além disso, é fundamental a mobilização pelo Fora Bolsonaro, Liberdade para Lula e convocação de novas com Lula concorrendo, a fim de derrubar o governo golpista.