Justiça golpista quer prender indígena de 80 anos por se defender de pistoleiros
porto-cambira
Justiça golpista quer prender indígena de 80 anos por se defender de pistoleiros
porto-cambira

O caso dos índios Guarani Kaiowá do Mato Grosso do Sul, que estão sendo julgados pela Justiça de São paulo por tentativa de homicídio, revela o verdadeiro caráter da justiça brasileira. O caso ocorreu em 2006, quando homens armados invadiram a Comunidade da Passo Piraju, próximo a Dourados. De acordo com os índios, os pistoleiros chegaram atirando contra a comunidade. Os índios, de maneira legítima, se defenderam do ataque, no que resultou na morte de dois pistoleiros.

Apesar disso, 12 índios foram presos e agora podem ser condenados por homicídio. Dentre eles está Nhamoi Carlito, que hoje tem 80 anos de idade, e pode ser condenado de forma totalmente injusta e farsesca. Os índios relatam ainda que de 2006 para cá vários indígenas da comunidade já foram assassinados por pistoleiros, dentre eles Nhanderu Nizio Gomes, uma liderança morta em 2011. Todavia, ao contrário do que aconteceu com os 12 índios que foram a julgamento, até hoje nenhum pistoleiro ou fazendeiro da região foi preso pelas mortes. No caso de Nhanderu, ele foi morto por ex-policiais, membros da empresa de segurança Graspen.

Este caso demonstra de maneira concreta o verdadeiro caráter da justiça e de todo o regime burguês. As instituições servem apenas para impor uma situação de dominação sobre todos os setores explorados, a favor das classes dominantes É preciso exigir o fim dos processos contra os índios e a liberdade de todos os indígenas. É preciso colocar abaixo todo esse regime, o que neste momento passa, necessariamente pela derrota do golpe de estado. Fora Bolsonaro e todos os golpistas.