Repressão
Até mesmo a polícia, o principal aparato repressor do Estado, não escapa da repressão, sofrendo com a proibição de greve para a categoria
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
xIMAGEM_NOTICIA_5.jpg_pagespeed_ic_aBolIsv5aA
Greve da policia civil no último dia 11 de agosto - BA | Foto: Reprodução

Servidores da Polícia Civil e do Departamento de Polícia Técnica, nesta última terça-feira (11), decretaram greve por 24h. Com isso, o Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), declarou como ilegal a greve dos servidores, decisão que foi proferida na segunda-feira (10/08), pelo desembargador José Cícero Landin Neto.

O magistrado determinou a realização de trabalho regular dos membros das categorias, sob pena de multa diária de R$30.000,00 (trinta mil reais), em caso descumprimento. Na decisão, o desembargador justifica que: “A deflagração do movimento grevista pelos Sindicatos e Associações rés, reveste-se de ilegalidade, ante a vedação constitucional e firme entendimento do STF. Os referidos pleitos da categoria, na forma do entendimento do STF, deverão ser dirimidos na forma do art. 165, do CPC.”

A Ação Coletiva Declaratória de Ilegalidade de Greve foi proposta pelo Estado da Bahia, através da Procuradoria Geral do Estado (PGE), contra o Sindicato dos Policiais Civis e Servidores da Secretaria de Segurança Pública do Estado da Bahia (Sindpoc); Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado da Bahia (Adpeb); Associação dos Escrivães de Polícia do Estado da Bahia (Aepeb); Associação dos Investigadores da Polícia Civil do Estado da Bahia; Sindicato dos Peritos Técnicos do Estado da Bahia (Sindpep) e Associação do Movimento Unificado dos Policiais Civis da Bahia (Unipol-Ba).

Essa decisão só é mais um elemento que compõe toda essa política golpista, que tenta restringir o direito à greve. A justiça não tem interesse na realização da greve de policiais, pois trata-se da perda de controle do aparato repressivo. Quanto menos direitos os policiais tem, mais centralizados na repressão sistemática do Estado eles ficam e mais sobre o controle do regime político.

Defendemos o direito irrestrito de greve para todas as categorias que desejam fazê-la, pois a contenção dessa prática configura de forma clara o regime ditatorial que estão impondo a toda sociedade.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas