Foco de contágio
Patrões, seu governo e “justiça”, genocidas dos trabalhadores, querem colocar todos os funcionários de frigoríficos em contato com o coronavírus
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
coopavel - 04-08-2020
Abatedouro de aves e suinos - Coopavel | Foto: Reprodução

Os patrões da Coopavel conseguem, para manter o lucro de seus frigoríficos, dizer que no abate de aves, suínos e bovinos, não há contaminação de trabalhadores, quando muito, quatro trabalhadores afastados em função da contaminação por coronavírus. Foi o que mencionou a Cooperativa Agroindustrial de Cascavel, diante da impugnação proferida através da investigação realizada pelo Ministério Público do Trabalho (MPT) do Paraná.

O argumento do tribunal dos patrões, o Tribunal Regional do Trabalho (TRT-PR) através do desembargador Aramis de Souza Silveira de que, o posicionamento da Coopavel à justiça aponta a existência de fatos novos que descaracterizam a situação de surto epidemiológico alegada pelo Ministério Público do Trabalho do Paraná (MPT-PR).

Conforme a Cooperativa proferiu em sua defesa foi de que suas industrias “conta com somente quatro trabalhadores afastados em suas plantas industriais de frigorífico, sendo três trabalhadores no frigorífico de aves e apenas um trabalhador no frigorífico de suínos, isso num universo de 3.497  trabalhadores o que prova a eficácia do plano de contingência”.

A incongruência entre a defesa da Coopavel é mais que evidente, a partir de que como se encontram os frigoríficos atualmente, com a pandemia do coronavírus, principalmente os de aves, suínos e bovinos. Conforme reportagem recente da imprensa, 20% em média dos trabalhadores em frigoríficos foram infectados.

No Paraná, o Tribunal Regional do trabalho (TRT) já concedeu liminar para o abatedouro Avenorte da cidade de Cianorte, do prefeito patrão Claudemir Bongiorno, naquele momento, em 22 de junho, havia 193 operários contaminados.

A decisão da justiça, braço direito dos patrões e seu governo é de que não se pode parar os frigoríficos, pois não se pode diminuir o lucro, não importa se está envolvendo a vida dos trabalhadores.

O frigorífico é um setor onde todos os setores são considerados insalubres e, os trabalhadores, principalmente no abate, mas em de forma geral, ficam praticamente encostados um do outro. Ainda assim, conforme pesquisas recentes sobre a contaminação de trabalhadores de frigoríficos pelo novo coronavírus sugerem o porquê de essa indústria se consolidar entre os principais focos da doença pelo mundo – inclusive no Paraná, onde cidades vivenciaram surtos a partir de funcionários contaminados em indústrias frigoríficas. Ambientes fechados e refrigerados seriam capazes de permitir que partículas de vírus se desloquem por mais de 8 metros.

É o que indica estudo realizado por um grupo de pesquisas do Heinrich Pette Institute, que integra o Leibniz Institute for Experimental Virology (Instituto Leibniz para Virologia Experimental, em tradução livre), localizado na Universidade de Hamburgo (Alemanha). O ensaio foi baseado no surto ocorrido em um frigorífico da cidade de Rheda-Wiedenbrueck, onde 1,5 mil trabalhadores foram contaminados pela Covid-19.

Os trabalhadores são tratados como lixo

A Coopavel está fazendo o que sua representante, a latifundiária, golpista e ministra da agricultura Tereza Cristina falou, ou seja, em argumento falacioso, disse que é exagerado o que estão falando sobre o coronavírus em frigoríficos. Os números, no entanto mostram que a realidade é assustadora: de 500 mil trabalhadores, 100 mil contraíram o COVID-19.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas